Bolsa da Hermés bate recorde e é vendida por mais de R$ 1 milhão

O leilão foi realizado pela Christie's de Hong Kong no dia 30 de maio

por João Paulo Martins 31/05/2016 14:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Jewelry.ha.com/Reprodução
A Hermés Birkin dourada de couro de jacaré do Himalaia é cheia de ouro e diamante e acaba de ser leiloada pela "bagatela" de R$ 1,08 milhão (foto: Jewelry.ha.com/Reprodução)
A tradicional casa de leilões Christie's acaba de bater mais um recorde. A filial em Hong Kong vendeu uma bolsa Hermés do modelo Birkin, dourada, feita de couro de jacaré do Himalaia e repleta de ouro e diamantes brancos por US$ 300.168 (cerca de R$ 1,08 milhão). Um recorde para esse tipo de acessório – até então, a bolsa mais cara já vendida no mundo chegou a US$ 222 mil e também era do modelo Birkin, da grife francesa Hermés.

O milionário leilão foi finalizado na noite de segunda, dia 30 de maio, na cidade chinesa. O grande destaque da bolsa, que foi criada pela grife francesa em 1984 em homenagem à cantora inglesa Jane Birkin, é o fecho, que é composto por 68,4 gr de ouro branco e incrustado de diamantes (são 40 ao todo).

Segundo Winsy Tsang, diretora de vendas de bolsas da Christie's, em entrevista à rede de televisão americana CNN, o preço desse tipo de acessório costuma aumentar ao longo do tempo, e apesar da Hermés encabeçar a lista de peças mais cobiçadas, outras grifes também são muito procuradas, como Bvlgari, Chanel e Gucci. "É uma classe de 'ativos' [investimentos] cada vez mais significativa", comenta Tsang.

Normalmente, uma bolsa Birkin é vendida nas lojas da grife francesa por US$ 13 mil (cerca de R$ 47 mil). Como mostra a matéria da CNN, essas peças da Hermés são muito cobiçadas por não terem uma produção em massa, o que gera a sensação de raridade e, consequentemente, atraem mulheres de várias partes do mundo.

Últimas notícias

Comentários