Estudo italiano comprova benefício do trabalho dos doutores da alegria

A ideia de humanizar o tratamento do paciente surgiu com o americano 'Patch' Adams

por Encontro Digital 03/06/2016 08:26

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação/D.A Press
Os doutores da alegria ajudam a humanizar o atendimento médico em diversas partes do mundo, e o resultado do trabalho deles foi comprovado por um estudo italiano (foto: Divulgação/D.A Press)
Mais que diversão e entretenimento, a presença dos doutores da alegria em hospitais e centros de emergência faz uma grande diferença no tratamento de pacientes. Assim foi comprovado em uma pesquisa feita pelo hospital infantil IRCCS Burlo Garofolo, na cidade de Trieste, na Itália.

O estudo selecionou 40 crianças e as dividiu em dois grupos: o primeiro recebeu o tratamento burocrático e processual normalmente aplicado num hospital tradicional; o segundo teve contato com voluntários que visitaram os centros hospitalares vestidos de palhaço.

Os resultados do estudo confirmaram que, embora a dor das crianças permanecesse igual, a ansiedade antes e durante a realização de algum tratamento ou procedimento médico diminuiu significativamente entre as crianças que receberam visitas dos doutores da alegria.

"O trabalho desenvolvido pelos voluntários já é bem conhecido. Mas, nosso hospital, o Burlo, na sua missão de humanização do tratamento, escuta as necessidades desses pequenos pacientes e de suas famílias. Por isso, decidimos explorar este tema com rigor técnico e científico, de modo que experiências semelhantes possam receber mais atenção", diz a nota divulgada pelo instituto italiano.
Craig Y. Fujii/Wikimedia/Reprodução
O médico americano Patch Adams foi o criador do método que humaniza o tratamento do paciente, deixando de lado a "frieza" tradicional de hospitais e consultórios (foto: Craig Y. Fujii/Wikimedia/Reprodução)

Patch Adams

Os doutores da alegria foram criados a partir da ideia do médico americano Hunter Doherty "Patch" Adams, que fundou o Instituto Gesundheit, em 1972, na zona rural do estado de Virgínia Ocidental (EUA), e que surgiu com o intuito de prover tratamento mais humanitário e intimista aos pacientes, como opção para os procedimentos hospitalares tradicionais. O americano criou um grupo de doutores que se vestem de palhaços e ajudam populações carentes em instituições médicas no mundo todo. Essa forma de atendimento humanitário logo foi seguido por outros profissionais, inclusive no Brasil.

Para quem quiser conhecer um pouco da história do "doutor da alegria", pode assistir ao filme Patch Adams – O Amor É Contagioso, estrelado pelo saudoso Robin Williams. Veja, abaixo, o trailer do longa, que estreou nos cinemas em 1998:


(com Agência Ansa e Portal EBC)

Últimas notícias

Comentários