Palácio de Drottningholm é assombrado, diz rainha Sílvia da Suécia

A monarca, filha de um alemão com uma brasileira, revelou que existem fantasmas no palácio em que vive com o rei Carlos XVI Gustavo

por João Paulo Martins 09/01/2017 13:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Gomer Swahn/Royal Court, Sweden/Divulgação
O Palácio de Drottningholm, construído no século XVII, abriga o casal real Carlos XVI Gustavo e Sílvia, da Suécia, e é "frequentado" por fantasmas, segundo a rainha revelou à ao canal estatal SVT (foto: Gomer Swahn/Royal Court, Sweden/Divulgação)
Normalmente, as pessoas costumam duvidar de relatos de aparições de fantasmas ou de atividades paranormais, especialmente quando as testemunhas não são conhecidas. Mas, e quando o relato provém de alguém que ocupa o mais alto cargo de um país? Na quinta, dia 5 de janeiro, um documentário divulgado pelo canal estatal SVT, da Suécia, está causando polêmica ao trazer uma entrevista com a rainha Sílvia, de 73 anos, que afirmou que o Palácio de Drottningholm, onde vive com o rei Carlos XVI Gustavo, de 70, é habitado por "amigos fantasmas".

"Existe muita história aqui. Existem também pequenos amigos... Os fantasmas. Eles são muito gentis, mas, às vezes, você sente que não está sozinho", revela a rainha Sílvia da Suécia, que é filha de uma brasileira com um alemão.

O Palácio de Drottningholm começou a ser construído em 1662, sobre os escombros de uma outra edificação, que foi destruída pelo fogo no séxulo XVI. Ele é a residência oficial da realeza sueca desde 1981. Apesar de ser a morada do casal real, o palácio é aberto à visitação de turistas e moradores.

"É empolgante, mas não chega a ser assustador", comenta a rainha Sílvia, que, em seguida, convida a equipe de reportagem para "dar um passeio" pelos aposentos, para que possam "sentir as entidades". "venham aqui quando estiver escuro. Conseguem imaginar o que estes fantasmas poderiam nos contar?", completa a monarca.
Peter Knutson/The Royal Court, Sweden/Divulgação
A rainha Sílvia, filha de uma brasileira com um alemão, é casada com o rei Carlos XVI Gustavo, da Suécia desde 1976 (foto: Peter Knutson/The Royal Court, Sweden/Divulgação)

Não foi apenas a rainha consorte que revelou a existência de atividade paranormal no centenário palácio da realeza da Suécia. A irmã mais velha do rei Carlos XVI Gustavo, Cristina Luísa Helena, também confirma a presença de algo sobrenatural em Drottningholm no documentário exibido pela SVT. "É um local com muita energia. Sabemos de histórias de fantasmas em residências antigas. São locais que passaram séculos cheios de pessoas. A energia se mantém", comenta a princesa.

Vale lembrar que em 1991, o Palácio de Drottningholm ganhou o título de Patrimônio Cultural da Humanidade, concedido pela Unesco, órgão das Nações Unidas para a Educação e Cultura.

Confira, abaixo, outras imagens da "assombrada" residência real da Sécia:
Alexis Daflos/Royal Court, Sweden/Divulgação
(foto: Alexis Daflos/Royal Court, Sweden/Divulgação)

Alexis Daflos/Royal Court, Sweden/Divulgação
(foto: Alexis Daflos/Royal Court, Sweden/Divulgação)

Alexis Daflos/Royal Court, Sweden/Divulgação
(foto: Alexis Daflos/Royal Court, Sweden/Divulgação)

Últimas notícias

Comentários