Incontinência urinária na gravidez pode estar ligada ao sobrepeso

Estudo relaciona o ganho exagerado de peso das grávidas à perda involuntária de urina

por Encontro Digital 10/01/2017 08:06

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Como mostra a pesquisa, as grávidas devem controlar o peso durante a gravidez, para evitar a incontinência urinária e o surgimento do doabetes (foto: Pixabay)
Muitas mulheres desenvolvem incontinência urinária durante a gestação. O problema envolve perda involuntária de urina e pode persistir depois do parto. Para descobrir as causas dessa incontinência urinária, especialistas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP e da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) acompanharam mais de sete mil mulheres.

No estudo, entre os fatores de risco para o desenvolvimento da doença, destacou-se o ganho de peso na gravidez, além do diabetes, do prolapso genital e do uso de cigarro. Os resultados vieram da análise de um banco de dados que vem acompanhando mulheres que tiveram seus filhos entre os anos de 2010 e 2011, em Ribeirão Preto e São Luís (MA).

Como mostra o pesquisador Luiz Gustavo Oliveira Brito, professor da FMRP, somadas às informações da gestação, as mães foram entrevistadas por um período de até dois anos depois do parto. Entre os vários questionamentos, uma pergunta aberta foi feita às mães: se elas haviam percebido alguma alteração no hábito de urinar antes do parto e qual teria sido.

Comparada a São Luís, Ribeirão Preto apresentou mais casos de incontinência. A média do ganho de peso também foi maior, com 12,8 kg, enquanto São Luís foi de apenas 11,2 kg. É considerado adequado o aumento entre 8 e 15 kg em mulheres com índice de massa corporal abaixo de 30, mas em Ribeirão Preto a variação foi superior, com mulheres chegando a 35 kg.

Com relação ao ganho de peso gestacional, o professor Luiz Brito lembra que, apesar dos números de referência de normalidade no aumento de peso na gestação, cada organismo possui resposta fisiológica diferente. Assim, é natural que uma mulher mais magra ganhe um peso maior durante a gravidez.

(com Jornal da USP)

Últimas notícias

Comentários