Primeiros mártires brasileiros serão canonizados pelo papa Francisco em outubro

Serão 30 pessoas transformadas em mártires. Elas foram assassinadas em 1645, vítimas da intolerância religiosa

por Encontro Digital 20/04/2017 10:08

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Eduardo Santillan/Fotos Públicas/Divulgação
O papa Francisco irá canonizar 30 mártires brasileiros, em outubro. Essa será a primeira vez na história que nosso país ganha um mártir na Igreja Católica (foto: Eduardo Santillan/Fotos Públicas/Divulgação)
O papa Francisco canonizará no dia 15 de outubro deste ano, na Basílica de São Pedro, no Vaticano, os primeiros mártires brasileiros, os sacerdotes André de Soveral, Ambrósio Francisco Ferro e o laico Mateus Moreira, além de outras 27 pessoas assassinadas em 1645.

O anúncio foi feito nesta quinta, dia 20 de abril, durante assembleia de cardeais dirigida pelo papa, onde foram definidas as datas das cerimônias de canonização de vários futuros santos.

Para que sejam canonizados, eles não necessitaram nenhum milagre, apenas o parecer positivo dos membros da Congregação para as Causas dos Santos, que reiterou o assassinato dessas pessoas por "ódio à fé".

Eles serão os primeiros mártires brasileiros e foram assassinados entre os dias 16 de julho e 3 de outubro de 1645 pelos protestantes calvinistas holandeses instalados em Brasil naquela época.

Muitos foram assassinados em Cunhaú e Uruacu, no Rio Grande do Norte, durante uma missa dominical celebrada por André de Soveral. Eles tinham sido beatificados pelo papa João Paulo II em março de 2000, na basílica de São Pedro.

Os mártires brasileiros serão canonizados em uma cerimônia ao lado de dois meninos mexicanos conhecidos como Mártires de Tlaxcala; o espanhol Faustino Miguez, fundador do Instituto Calasancio Filhas da Divina Pastora; e o sacerdote franciscano italiano Luca Antonio Falcone.

Canonização

Além dos brasileiros, o papa Francisco canonizará no dia 13 de maio deste ano os irmãos Francisco e Jacinta Marto, durante sua viagem a Portugal. Eles são os jovens pastores que, segundo a Igreja Católica, presenciaram, ao lado da prima Lúcia, a aparição da Virgem Maria na cidade de Fátima.

O anúncio da canonização também foi feito nesta quinta (20), durante assembleia de cardeais dirigida pelo papa.

No dia 23 de março, o pontífice tinha aprovado os decretos para canonizar as duas crianças, então com 9 e 10 anos – elas morreram pouco depois das aparições, entre maio e outubro de 1917. Esta será a primeira vez que crianças não mártires serão declaradas santos.

Francisco viajará para Fátima onde participará dos atos em comemoração do centenário das aparições de Nossa Senhora, nos dias 12 e 13 de maio. A cerimônia de canonização será no sábado (13), quando está prevista uma missa multitudinária na esplanada do santuário mariano.

O milagre pela intercessão dos irmãos portugueses, que levou ao decreto da canonização, segundo as normas católicas, é o da suposta cura de uma criança brasileira.

Milagre de Fátima

Francisco (1908-1919) e Jacinta Marto (1910-1920), que junto com a prima Lúcia, que se tornou freira e a única que sobreviveu, presenciaram as aparições na Cova da Iria, na cidade de Fátima, em Portugal, e foram beatificados no dia 13 de maio de 2000, pelo papa João Paulo II.

As três crianças portuguesas garantiram que testemunharam as aparições da Virgem Maria, e quem revelou a elas os chamados três Segredos de Fátima, relatados por Lúcia, que morreu em 2005, para quem também foi aberto um processo de beatificação.

(com Agência Brasil e Agência Efe)

Últimas notícias

Comentários