"Até a próxima vez"

Paul McCartney emociona mais de 50 mil pessoas no Mineirão

por Rafael Campos - Revista do Correio 06/05/2013 14:31

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marcos Hermes/Divulgação
(foto: Marcos Hermes/Divulgação)
A estudante Ana Luisa Costa Pereira, de 25 anos, não viu os Beatles tocarem. Ela nasceu quando o fim da banda de Liverpool completava 18 anos. Mas quem se importa? Beatles é Beatles e a presença de um deles no palco já vale a compra do ingresso, e as filas quilométricas para entrar no estádio. “Cresci ouvindo Beatles e as músicas do Paul. É algo que não tem como explicar. É um rock puro”, conta Ana Luisa, enquanto aguardava o início do primeiro show de Paul McCartney da turnê Out There, que os belo-horizontinos tiveram o privilégio de conferir na noite de sábado, 4 de maio, no Mineirão, na Pampulha.

O ex-beatle provou que o rock pode mudar, ganhar novas roupagens, contudo, a essência só pode ser carregada por alguns guardíões: McCartney é um deles. No estádio, as mais variadas gerações se uniram para cantar em uníssono Yesterday, Let it be, Hey Jude, que proporcionaram um espetáculo emocionante com as tradicionais luzes dos telefones celulares. Na Blackbird, a plataforma onde Paul estava se ergue. Aliás, o palco foi uma atração à parte, com um verdadeiro show de luzes, LED e projeções de fotografias. Mas, sem dúvida, um dos pontos altos da noite foi a canção Live And Let Die, que arrematou os fãs com show de fogos e chamas. Mais de 50 mil pessoas em êxtase!

Sir Paul McCartney esbanjou também simpatia; dançando, fazendo caras e bocas e interagindo com o público. Soltou as tão esperadas frases em português como “Oi BH. Boa noite povo bão!” e “Finalmente, Paul veio falar uai”. Gritos, risadas e aplausos!

A noite foi também de homenagens. Sobre a plataforma erguida, Paul lembrou John Lennon com a Here today. My Valentine, sua canção preferida, foi dedicada à atual mulher, Nancy Shevell. Para Linda McCartney, falecida esposa, ele cantou “The Long and Winding Road”. Something foi a homenagem para o companheiro George Harrison, que nos deixou em 2001.

Um show para ficar guardado na memória, e para quem já está com saudades do ex-beatle, ao fim da noite ele falou: “Até a próxima vez”. Quem sabe?

Novos e velhos transtornos

Nem tudo foram flores na noite do último sábado. As antigas reclamações de quem frequenta o estádio voltaram a fazer coro. As filas gigantescas em volta do Mineirão comprovaram que a organização precisa ainda se entender. Por voltas das 20h, um encanamento estourou, causando mal cheiro, principalmente para quem estava no setor inferior vermelho à direita do palco.

Últimas notícias

Comentários