Ex-BBB Letícia Santiago fala sobre sua experiência no reality show

A sister, em entrevista exclusiva à Encontro, conta como conseguiu manter o lado emocional sob controle, fala dos relacionamentos com os brothers e seus planos para o futuro

por João Paulo Martins 15/03/2014 09:05

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
TV Globo/Frederico Rozario/Divulgação
A advogada Letícia Santiago, de Belo Horizonte, quer seguir a carreira de atriz (foto: TV Globo/Frederico Rozario/Divulgação)
Com 28 anos, a advogada mineira Letícia Santiago chamou logo a atenção do público e, claro, dos brothers no primeiro dia do Big Brother Brasil 14. Sua beleza e corpo definido não passaram desapercebidos. Apesar do rosto bonito, a mineira mostrou sua capacidade física e mental ao conquistar a liderança na primeira prova de resistência do programa, mandando um recado para os marmanjos da casa – especialmente os "marombados".

Os affairs dentro do reality show também derem o que falar. Primeiro, o português Rodrigo, tentou conquistá-la a todo custo, e não foi bem sucedido. Depois, Marcelo, carente, tentava transformá-la em sua namorada. Quem finalmente conseguiu o amor, mesmo que no estilo "confinamento", foi o paulista Júnior.

Após 36 dias na casa, a advogada mineira enfrentou seu primeiro e único paredão, contra o carioca Diego e o gaúcho Cássio, sendo eliminada com 54% dos votos. Agora, do lado de fora do programa, Letícia fala à Encontro sobre sua experiência no BBB e que pretende seguir carreira de atriz. Confira:  

Encontro - O que te levou a fazer parte do Big Brother Brasil 14?
Letícia - Na verdade eu fui convidada por olheiros. Fiquei em dúvida se participava ou não. Acho que é uma oportunidade de conhecer pessoas e saber lidar com elas. Além de testar o limite o meu corpo, em provas de resistência. Gosto de conhecer mais sobre pessoas que são diferentes de mim.

Você acompanhava o programa antes de entrar na casa?
Sim, ultimamente não assistia com tanta frequência, mas acompanhava, sim.

A visão que você tinha como telespectadora mudou depois que entrou no programa?
Mudou muito. Não tem comparação com o que se vê daqui de fora. A perspectiva muda totalmente. Quando se entra na casa, passa a ser condicionado por diversos fatores. O confinamento antes de entrar no programa já é um teste para a pessoa, além de ter de ficar afastado da família. Você perde muita referência, não sabe o que está acontecendo com as pessoas que você gosta, do que está acontecendo com o mundo. A gente esquece até o tempo. Às vezes ficava conversando até de manhã. Assustava com o sol nascendo.

Pois é, quem assiste ao vivo percebe que vocês costumam errar o horário, mesmo...
A gente realmente perde a referência de tempo. Até hoje eu ainda não consegui arrumar isso. É como se fosse um jet lag, que ainda não passou.

O Big Brohter é um jogo e o controle emocional parece ser o grande segredo para a vitória. Isso procede?
Sem dúvida. Eu acredito muito no poder da mente. Não é sempre que a gente consegue ter o controle. Por exemplo, tive uma prova do líder de perguntas e respostas, que errei porque deu um branco. Eu sabia a resposta, mas na hora não consegui pensar. O contrário disso foi quando venci a prova de resistência, de 16 horas. Foi tudo controle da mente, e não meu esforço físico. Sobre a questão emocional, às vezes eu bloqueava meus pensamentos, não parava para pensar na saudade.

Como você conseguiu manter esse controle emocional, já que tinha deixado uma filha aqui fora?
A minha filha tem quatro anos. Quando fui convidada para participar do programa, pedi a meus pais que me dessem a segurança de que tudo ficaria bem com ela. Eu só iria se tivesse esa tranquilidade. Se tivesse de pensar nas coisas daqui de fora, não conseguiria me manter no confinamento. Em alguns momentos batia uma saudade, mas se eu começasse a chorar lá dentro, demonstrando fraqueza para meus pais e minha filha, poderia deixá-los fracos também. Devemos ficar fortes por nós e por aqueles que deixamos aqui fora.


O que você acha que poderia ter feito diferente para tentar chegar à final do BBB 14?
Se eu pudesse fazer algo diferente seria ouvir menos a opinião dos outros brothers. Quando eu saí, vi que tinha uma torcida enorme. Tenho fãs enlouquecidos. É uma coisa gostosa, saber que somos tão amados aqui fora. Estou muito feliz por ser admirada por gente nova e até velhinhos. Como a gente não tem ponto de referência lá dentro, acaba comprando as ideias dos outros. Acredita que aquilo é que é o certo. Eu podia ter ouvido mais meu coração. Tenho absoluta certeza de que meu coração não erra por maldade. É igual mãe, que nunca vai errar por má intenção. Eu não penso em faezr algo ruim. Devia ter acreditado mais nisso.

TV Globo/Divulgação
A mineira foi eliminada no paredão com 54% dos votos (foto: TV Globo/Divulgação)
E sobre relacionamento com outros confinados? Por estar com o lado emocional sempre em jogo, como você lidou com as investidas do português, do Júnior, do Marcelo?

Quando saí, até um tio meu disse que ficou impressioando com minha serenidade na casa. Que eu devia estar com ódio das meninas que falavam de mim, ou dos brothers que inventaram relacionamentos. Eu não tinha esse rancor, de verdade. O que eu mostrei na casa é a realidade. Sou muito transparente. Se eu estiver mal, tudo mundo sabe. E o contrário também. Não conseguia fingir estar numa boa, se não tivesse. Ia acabar transparecendo de alguma forma. O que fiz foi medidar muito e pedir a Deus por serenidade. Eu levei um livro de orações, que lia todo dia, e que me trouxe muita paz. Essas fofocas lá de dentro não me atingiam. Eu não fiquei com o 'portuga', não fiquei com o Marcelo. A frase que criei está servindo para tudo: a verdade não precisa de explicações, se revela com o tempo. Isso está acontecendo. Poucos dias atrás o Marcelo disse que foi quase um beijo. No início ele chegou a dizer que eu era namorada dele, que ficou comigo. Mas o discurso já mudou. O próprio 'portuga' me pediu desculpas ao vivo, no programa do Faustão. Ele chegou a ligar para minha mãe, para se desculpar também.

Depois que você deixou a casa, como foi seu reencontro com sua filha?
Ela já sabia que eu estava participando de um programa. Fiquei chocada. Ela falava: minha mãe é a Letícia do BBB. Agora, quando viajo, ela pergunta se estou indo para o programa, e explico que não. Ela me mata de rir.

Quais são suas pretensões profissionais pós-BBB?
Por enquanto estou aproveitando as oportunidades que surgem e estudando, com muito carinho, cada proposta. Não vou esperar cair do céu, não. Vou correr atrás. Já estou fazendo um curso de atuação no Rio de Janeiro. Vou fazer um teste para cinema.

Você quer ser atriz?
Quando eu era pequena cheguei a fazer teatro. Mas não dediquei minha vida a isso. Agora é o momento propício. Eu fiz uma participação no Zorra Total, foi ao ar no início do mês. Gostei muito, foi divertido. Estava nervosa, mas por ter sido a primeira vez, é normal.

A sister Letícia manda um recado especialmente para seus fãs mineiros do site da Encontro:

Últimas notícias

Comentários