Francisco Nunes é reaberto em BH

Um dos mais importantes palcos da cena artística da cidade, o teatro foi totalmente restaurado por meio do programa Adote um Bem Cultural. Público poderá voltar a prestigiá-lo no dia 6

por Ascom PBH 30/04/2014 14:48

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Adão de Souza/Ascom PBH/Encontro
As obras de restauração do teatro Francisco Nunes receberam investimento de R$ 11 milhões (foto: Adão de Souza/Ascom PBH/Encontro)
O Teatro Francisco Nunes retoma sua vocação, ao reabrir as portas, completamente revitalizado. Carinhosamente apelidado de Chico Nunes, o espaço está agora entre as mais modernas casas de espetáculo mineiras, com capacidade para 526 espectadores. As obras de restauro e modernização tiveram investimento de R$ 11 milhões, fruto de uma parceria entre a Unimed-BH e a prefeitura de Belo Horizonte. A iniciativa foi viabilizada pelo programa Adote um Bem Cultural, que incentiva a cooperação entre o poder público e a iniciativa privada para a restauração e conservação do acervo cultural do município.

De acordo com a Fundação Municipal de Cultura (FMC), as produções locais serão a tônica da gestão do novo Francisco Nunes, que contará com editais de ocupação e de fomento às artes cênicas e à música, a começar pelo Festival Internacional de Teatro Palco e Rua. No dia 6 de maio, a Cia. Luna Lunera abre a 12ª edição do FIT-BH, com o espetáculo Prazer, às 21h, marcando o encontro do público com as novas instalações. “É certeza de dever cumprido entregar o Teatro Francisco Nunes totalmente revitalizado e modernizado à população de Belo Horizonte, tamanha a sua importância para o cenário das artes do palco na cidade e, de forma bem especial, para a classe artística”, diz Leônidas Oliveira, presidente da FMC.

A reforma teve projeto arquitetônico da Lazuli Arquitetura. O teatro recebeu poltronas, sistema de ar-condicionado e tratamento acústico novos, o que irá proporcionar mais conforto ao público e qualidade às apresentações. Foram abertas salas para o setor administrativo e reformados os sistemas de som e iluminação, além da caixa cênica, da sala de aquecimento para artistas e dos camarins. A restauração incluiu, ainda, bilheteria, banheiros, lanchonete e cozinha. O saguão agora tem pé-direito duplo, com uma única entrada central e espaço para exposições. Dele, é possível ver o jardim lateral revitalizado, assim como o restauro dos mosaicos e dos barrados em pedra bruta.

Para Helton de Freitas, presidente da Unimed-BH, “foi uma honra participar da revitalização. É um novo teatro, com novos equipamentos, oferecendo mais possibilidades às performances que serão realizadas aqui”. Já o prefeito Marcio Lacerda acha que o retorno do Chico Nunes é um marco no cenário cultural da cidade. “Este tem sido um templo do teatro para sucessivas gerações de atores, autores e cenógrafos, e passa a ser mais uma âncora para a cultura e a qualidade de vida da nossa população”, completa.

O teatro

Instalado no Parque Municipal, no Centro, o Teatro Francisco Nunes, inicialmente chamado Teatro de Emergência, foi inaugurado em 1950, para suprir a carência de teatros na cidade. Nessa época, o antigo Teatro Municipal havia se transformado no Cine Metrópole, que acabou sendo demolido em 1983, e o Palácio das Artes ainda estava em construção.

O nome é uma homenagem ao regente, clarinetista, professor e compositor mineiro Francisco Nunes (1875-1934), que foi aluno e professor do Instituto Nacional de Música e fundador da Sociedade de Concertos Sinfônicos do Rio de Janeiro. Em 1920, organizou e dirigiu a orquestra que se apresentou durante a visita do rei Alberto I da Bélgica a Belo Horizonte. Convidado pelo Governo de Minas, Francisco Nunes reorganizou, em 1925, o Conservatório Mineiro de Música, de Belo Horizonte, que dirigiu até a morte. Ainda em 1925, criou a Sociedade de Concertos Sinfônicos de Belo Horizonte, da qual foi regente e diretor.

Últimas notícias

Comentários