Jair Rodrigues ajudou a carreira de Clara Nunes

No dia em que perdemos um dos principais cantores de samba do Brasil, vale lembrar a história que o conectou com Minas, com nossa maior cantora

por João Paulo Martins 08/05/2014 12:44

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marcos Vilas Boas/DN/Divulgação/D.A Press
O músico Jair Rodrigues ajudou Clara Nunes a embarcar na carreira de sambista (foto: Marcos Vilas Boas/DN/Divulgação/D.A Press)
"Prepare o seu coração, pras coisas que eu vou contar...", diz trecho da música Disparada, um dos sucessos  de Jair Rodrigues de Oliveira, nascido em Igarapava, no interior de São paulo, que se tornou um dos principais nomes da música popular brasileira, especialmente no samba. Na década de 1960, fazia sucessos nos festivais de música, e em 1965, ao lado de Elis Regina, estreou na televisão o programa O Fino da Bossa, que o tornou famoso em todo o país. Sua célebre voz calou-se hoje, dia 8 de maio, em sua casa, na cidade paulista de Cotia, aos 75 anos de idade.

O autor de sucessos como Tristeza e Deixa Isso pra Lá – que é considerada o primeiro rap brasileiro – também deixou sua marca nos mineiros, mas não apenas pela qualidade de sua obra: Jair Rodrigues ajudou a carreira de Clara Nunes, nossa mais célebre intérprete, que era natural de Caetanópolis, no interior do estado. “Quando Clara veio ao Rio, para participar de um festival de música da TV Record, ainda era desconhecida, e a gente se olhou, gostou um do outro e começamos a ter um affair”, revela o cantor à Encontro, em entrevista realizada no ano de 2012. Na época em que conheceu a "tal mineira", Jair fazia shows acompanhado do grupo Originais do Samba, e quando foram excursionar pela América Latina, levou Clara junto.

Clara Nunes cantava músicas românticas, principalmente boleros, e segundo Jair Rodrigues, foi numa apresentação no Uruguai que ele a chamou de lado e falou: “Escuta bem, o dono do restaurante pediu que você cantasse samba”. Ela disse que gostava do ritmo, mas não sabia cantar. “Chamei o grupo num salão e passei para ela músicas, como Mas que Nada e Amélia. Para finalizar a história, arrasamos juntos, Jair, Originais e Clara Nunes”, completa o saudoso cantor paulista.

Jair Rodrigues deixa dois filhos, também músicos – Jairzinho e Luciana Mello –, e a esposa, Clodine Mello. O intérprete estava tocando pelo país com sua nova turnê Samba Mesmo, e faria uma apresentação em Contagem, dia 29 de maio, numa festa beneficente. O samba fica mais triste sem você, Jair, mas o céu festeja mais um baluarte, que se junta ao time formado por nomes como Cartola, Candeia, Clementina de Jesus, e, claro, sua querida Clara Nunes.

Confira abaixo, trecho da entrevista que a Encontro fez com Jair Rodrigues em 2012, sobre sua relação com Clara Nunes:

Últimas notícias

Comentários