Circuito Cultural Praça da Liberdade passa a ser administrado pelo governo de Minas

Como parte do processo de redução de custos, o conjunto de museus passará a ser gerido pela secretaria de estado de Cultura

05/03/2015 12:37

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Lúcia Sebe/Imprensa MG/Divulgação
Os 12 espaços culturais que fazem parte do circuito da Praça da Liberdade passarão a ser administrados pela secretaria de estado de Cultura (foto: Lúcia Sebe/Imprensa MG/Divulgação)
Com o objetivo de economizar recursos, o governo de Minas Gerais muda a gestão do Circuito Cultural Praça da Liberdade, que passa, a partir deste mês de março, a ser administrado pela secretaria de estado de Cultura. Desde 2012, os museus que fazem parte do circuito eram geridos pelo Instituto Cultural Sérgio Magnani, por meio de um termo de parceria. De 2012 a janeiro de 2015, a secretaria de estado de Cultura repassou ao Instituto Sérgio Magnani o total de R$ 11.851.551,25. A previsão de investimentos do governo no instituto até dezembro de 2015 seria de mais R$ 4.563.101,91, totalizando cerca de R$ 16 milhões em quatro anos.

A medida, segundo informa o governo estadual, responde à diretriz do governador Fernando Pimentel de diminuir os custos da máquina pública, com o objetivo de alcançar o equilíbrio das contas do tesouro estadual, sem prejuízo dos resultados.

O núcleo de gestão designado para a administração do Circuito Cultural Praça da Liberdade será vinculado ao Instituto Estadual de Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha-MG), que voltará a funcionar na antiga secretaria de Viação e Obras Públicas, o "prédio verde". O governo diz que os projetos realizados pelos espaços que integram o circuito não sofrerão quaisquer alterações.

Circuito Cultural Praça da Liberdade

Ao todo, são 12 espaços e museus em funcionamento: Arquivo Público Mineiro, Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, Casa Fiat de Cultura, Centro Cultural Banco do Brasil, Centro de Arte Popular Cemig, Centro de Formação Artística – Cefar Liberdade; Espaço do Conhecimento UFMG, Horizonte Sebrae – Casa da Economia Criativa, Memorial Minas Gerais Vale, MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal, Museu Mineiro e Palácio da Liberdade.

Cada um destes manterá sua programação já em curso e a articulação por meio de quatro comitês existentes será feita pela secretaria de Cultura e pelo Iepha.

(com Agência Minas)

Últimas notícias

Comentários