Filme A Travessia está causando mal-estar nos espectadores

Relatos na internet dão conta de que a versão 3D do longa chega a causar vertigem, náusea e vômito em quem assiste

por Marcelo Fraga 16/10/2015 18:33

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
TriStar Pictures/Reprodução
O equilibrista francês Phillippe Petit é interpretado por Joseph Gordon-Levitt, que deixa os espectadores 'zonzos' nas cenas do filme em 3D (foto: TriStar Pictures/Reprodução)
Imagine atravessar um abismo, equilibrando-se apenas sobre uma corda, a mais de 400 m de altura. Só de pensar nisso, já é possível sentir aquele famoso "frio na barriga". Essa situação arrepiante é retratada no filme A Travessia, do diretor americano Robert Zemeckis (A Lenda de Beowulf e Forrest Gump: O Contador de Histórias). O longa é baseado em fatos reais e retrata a história do equilibrista francês Phillippe Petit, que conseguiu atravessar as torres gêmeas do extinto World Trade Center, de pé, sobre um cabo de aço, em 1974, sem usar equipamento de segurança.

O problema é que a versão 3D do filme, que está em cartaz nos cinemas, tem causado mal-estar nos espectadores, inclusive com casos de vertigem extrema, náuseas e, até, vômito. Em entrevista recente à imprensa norte-americana, Robert Zemeckis admitiu ter utilizado ângulos de filmagem especiais e outras técnicas para provocar vertigem nas pessoas que assistem A Travessia. Tudo, de acordo com o diretor, foi feito com a intenção de dar mais realismo à sua produção.

O motivo do mal-estar está diretamente relacionado aos efeitos 3D, de acordo com o médico Cheng T-Ping, presidente da Sociedade Mineira de Otorrinolaringologia. "Filmes em três dimensões causam um conflito no cérebro, que pode levar às náuseas e, em casos mais extemos, ao vômito e até convulsões, em pessoas predispostas a ataques epiléticos. Isso ocorre porque o corpo está parado, mas, as imagens na tela passam a falsa sensação de movimento", explica o especialista.

Para prevenir problemas durante sessões de cinema como essa, o médico recomenda que o espectador sente nas poltronas mais distantes da tela, e mantenha uma postura mais adequada, com os dois pés sempre no chão e os braços repousados nos apoios da cadeira.

Outra medida recomendada pelo otorrino Cheng T-Ping é evitar alimentos com alto teor de gordura, açúcar ou cafeína antes de assistir a filmes 3D. "Geralmente, o mal-estar em sessões de cinema, bem como em passeios de barco e viagens, não é grave e desaparece rapidamente. Quanto mais experiências como essas, melhor para organismo, que tende a se adaptar às situações que causam vertigem", esclarece o médico.

Últimas notícias

Comentários