Sandra Moreyra é diagnosticada com novo câncer

A jornalista da Globo está com um tumor no mediastino, e a causa, normalmente, está relacionada ao hábito de fumar, segundo especialista

por Marcelo Fraga 05/11/2015 15:41

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Twitter/tiasandrinha/Reprodução
A repórter Sandra Moreyra já havia lutado contra dois cânceres no esôfago, em 2008 e 2014, e, agora, foi diagnosticada com um tumor no mediastino (foto: Twitter/tiasandrinha/Reprodução)
A repórter Sandra Moreyra, uma das mais experientes da TV Globo, acostumada a produzir grandes reportagens para o Globo Repórter e o RJTV, está enfrentando mais um desafio. Só que, desta vez, está ligado à saúde. Pela terceira vez, a jornalista, de 61 anos, que é assumidamente fumante, recebeu o diagnóstico de câncer. Nos anos de 2008 e 2014 ela precisou lutar contra a doença, que havia se instalado no esôfago, precisando até realizar duas cirurgias. Agora, a doença foi diagnosticada no mediastino, órgão que fica região do tórax.

Sandra Moreyra ainda está em processo de recuperação do último câncer, e vem realizando sessões de fisioterapia. Em sua conta no Twitter, a repórter anunciou o início de nova batalha pela vida: "Novamente estou sendo posta à prova. Mais um tratamento 'pra' fazer. Eu amo a vida. E vou em frente". Em outra mensagem, também na rede social, ela agradeceu o apoio que tem recebido de amigos e seguidores.

O mediastino, onde surgiu o novo câncer da jornalista da Globo, é uma região localizada no tórax, entre os dois pulmões. "É um local por onde passam estruturas vasculares [veias e artérias] e também onde está o timo – órgão importante para o sistema imunológico", explica o oncologista Enaldo Melo de Lima, do hospital Mater Dei.

Tabagismo

O câncer no mediastino não é raro e, geralmente, está relacionado ao hábito de fumar, segundo o especialista. Os sintomas vão desde tosse constante até desconforto e dores no tórax, além de dificuldades para respirar.

O tratamento, de acordo com Enaldo Melo de Lima, é similar ao realizado na maioria dos tipos de câncer, ou seja, com sessões de quimioterapia, radioterapia e utilização de medicamentos específicos, podendo ser necessária intervenção cirúrgica, em alguns casos.

Últimas notícias

Comentários