Cientista francês encontra rosto 'oculto' na pintura da Monalisa

Segundo a análise, Leonardo Da Vinci teria pintado o famoso rosto sobre o de outra mulher

por João Paulo Martins 15/01/2016 15:14

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
BBC/Reprodução
À esquerda temos o conhecido quadro de Monalisa e, à direta, a suposta mulher que está 'oculta' na mais famosa obra de Leonardo Da Vinci (foto: BBC/Reprodução)
Quando se trata de pintura, é sabido que o quadro Monalisa, de Leonardo Da Vinci, é o mais famoso do mundo, e atrai milhões de turistas todos os anos ao museu do Louvre, em Paris, França. Porém, uma notícia sobre essa conhecida obra está chamando a atenção do mundo. O cientista francês Pascal Cotte, fundador da empresa Lumiere Technology, especializada em escaneamentos de estruturas, teria descoberto uma figura de mulher por trás do rosto da Gioconda (como também é conhecida a Monalisa).

Os resultados do estudo feito por Cotte, em 2004, época em que teve acesso exclusivo à pintura, foram transformados em um documentário da rede de televisão britânica BBC. Usando uma técnica chamada de "amplificador de camada", o cientista teria encontrado indícios de que o quadro, originalmente, trazia a imagem de outra pessoa. "Nós podemos analisar exatamente o que está acontecendo dentro das camadas da pintura, e podemos descascá-la como uma cebola", diz o francês à BBC.

Por meio de feixes de luz não invasivos sobre a tela, pintada há mais de 500 anos por Leonardo Da Vinci, foi possível perceber as mínimas alterações nas camadas de tinta e nas cores, o que revelou uma imagem "invisível" por trás do enigmático rosto da Monalisa.

Segundo as informações oficiais, o quadro, que está em exposição no museu do Louvre desde 1797, representaria uma mulher chamada Lisa Gherardini, que viveu no séciulo XVI e era esposa de um mercador. A execução da obra foi solicitada a Da Vinci pelo político e mecenas italiano Juliano de Médici. A pintura sempre esteve cercada de mistérios e conspirações, como uma teoria que diz que a modelo retratada teria uma doença, indicada pelas mãos "inchadas".

Resta, agora, saber qual representação retrata de forma mais fiel a modelo original do pintor renascenista: a que todos conhecem ou a que está "oculta" sob as tintas centenárias.

Últimas notícias

Comentários