Livro Mein Kampf, de Hitler, vira best-seller na Alemanha

A polêmica obra antissemita nazista já vendeu 85 mil cópias desde sua reedição e permanece no ranking dos livros mais vendidos no país

por João Paulo Martins 04/01/2017 09:29

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Institut für Zeitgeschichte/Wikimedia/Reprodução
O Instituto de História Contemporânea de Munique garante que a reedição da polêmica obra Mein Kampf, de Hitler, não contribui para o fortalecimento da ideologia nazista (foto: Institut für Zeitgeschichte/Wikimedia/Reprodução)
Em janeiro de 2016, quando foi anunciada a reedição do livro Mein Kampf (Minha Luta), escrito pelo líder nazista Adolf Hitler, em 1925, o mundo todo ficou surpreso e preocupado com o possível fortalecimento da ideologia fascista alemã. Porém, na época, o Instituto de História Contemporânea de Munique (Institut für Zeitgeschichte), na Alemanha, responsável pela edição comentada da obra, fez questão de dizer que o texto atual, por trazer comentários esclarecendo cada ponto de vista polêmico do "führer", acaba ajudando no entendimento dessa ideologia, impedindo, assim, que ela possa voltar a dominar a Europa.

"Descobriu-se que era totalmente infundado o medo de que a publicação pudesse promover a ideologia de Hitler ou torná-la mais popular e, assim, fornecesse aos neonazistas uma nova ferramenta de propaganda", diz Andreas Wirsching, diretor do Instituto de História Contemporânea de Munique, em comunicado enviado à imprensa na terça, dia 3 de janeiro. "Ao contrário, o debate sobre a visão de mundo de Hitler e sua forma de propagar as ideias permitiu observar as causas e consequências das ideologias totalitárias, num momento em que visões políticas autoritárias e pensamentos de direita estão ganhando força", completa Andreas.

De qualquer forma, a nova versão de Mein Kampf, que tem 1.948 páginas, já está caminhando para a sexta edição e se tornou best-seller na Alemanha. Ela figurou entre os livros mais vendidos na categoria não ficção no ranking da revista alemã Der Spiegel durante quase todo o ano de 2016.

Segundo o Instituto de História Contemporânea de Munique, já foram vendidas quase 85 mil cópias da versão comentada da obra antissemita de Hitler, desde o lançamento, em janeiro de 2016. Originalmente, estava programada a impressão de apenas 4 mil exemplares, mas o sucesso foi tanto que a sexta edição deve chegar às livrarias ainda em janeiro de 2017.

Na época do Terceiro Reich, de 1925 até a derrocada dos nazistas, foram vendidos nada menos que 12 milhões de exemplares de Mein Kampf em todo o mundo. Mesmo depois da Segunda Guerra, ainda era possível adquirir uma cópia da polêmica obra em sebos alemães. O livro nunca esteve proibido na Alemanha. Na verdade, enquanto o estado da Baviera era detentor dos direitos autorais do texto de Hitler, ele nunca autorizou sua reedição. Porém, após 70 anos da morte do líder nazista, em janeiro de 2016 sua mais famosa obra entrou para a lista de domínio público e pôde voltar a circular.

Últimas notícias

Comentários