Um bom e honesto bacalhau: o Panças

por Eduardo Maya 08/05/2011 23:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Sabe aquela sensação tipo “este lugar me parece familiar”? Mesas com toalha de papel, aromas caseiros saindo da boca da cozinha e, para coroar, balcão frigorífico com um belo pudim de clara aguardando silenciosamente o seu derradeiro momento.

Foi isso que senti ao entrar no O Panças, um restaurante no subúrbio de Lisboa, a 10 minutos de táxi do centro histórico (ali pelo Rossio) e oito euros no taxímetro.

Eu me senti em casa, como se estivesse em um bom e velho restaurante português em solo brasileiro. É muito boa essa sensação de, quando estamos viajando, encontrar um lugar em que a gente se sinta em casa, principalmente quando se passa a maior parte do tempo “na estrada”.

A ementa – assim é chamado o cardápio em Portugal – foi honesta com o ambiente da casa: clássicos da culinária lusitana. Pratos como arroz de cabidela, rojões, porco à alentejana, doces de ovos, e o rei do pedaço, bacalhau assado.

Não estou falando apenas de uma boa posta do peixe que já é quase sinônimo de Portugal, mas de um lombo inteiro e mais um pedaço, como se apenas o lombo não bastasse. Bacalhau suficiente para uma família de quatro a cinco pessoas.

Vossa Majestade veio escoltada por saborosas batatas ao murro, alho e azeitonas. Tudo preparado à perfeição, da forma mais simples possível.

Pagaria um bom preço por aqueles momentos de prazer, mas me foram cobrados apenas 23 euros. Um ótimo exemplo de custo/benefício com larga vantagem para o benefício.
Indo a Lisboa, faça como os lisboetas: vá ao Panças.

Um forte abraço!





Bacalhau escoltado por batatas, alho e azeitonas: preparo simples e resultado perfeito no restaurante do subúrbio de Lisboa

Últimas notícias

Comentários