A eclética mexerica

por Eduardo Avelar 24/11/2011 13:29

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Eugênio Gurgel
A receita do chef Adriano Bernardes, de Brumadinho: um delicioso pato com caramelo de mexerica (foto: Eugênio Gurgel)

A tangerina, chamada de mexerica no sudeste, e laranja-cravo no nordeste, atende também por mandarina, mimosa, vergamota e bergamota nas diversas regiões do Brasil. Originária da Ásia, adaptou-se ao nosso clima tropical úmido, e aqui, em Minas, a espécie poncã tem sua maior produção nas cidades do Vale do Charme cortadas pelo rio Paraopeba. Belo Vale, Moeda e Brumadinho abastecem grande parte do mercado mineiro dessa gostosa e nutritiva fruta.

 

A casca da tangerina possui concentrações elevadas de vitaminas A, B1, B2, vitamina C, cálcio e fósforo, podendo ser usada para fazer doces e geleias. O valor nutritivo do suco ou da polpa varia conforme a espécie, mas é sempre boa fonte de vitaminas A e C e sais minerais, como potássio, cálcio e fósforo. É considerada grande fonte de magnésio e, popularmente, é conhecida pelos seu efeitos diurético, digestivo e de aumento na eficiência física. Também é laxativa, pois apresenta grande quantidade de fibras, e o chá das suas folhas é famoso como calmante.

 

Atualmente, os chefs e gourmets têm utilizado os sabores da casca e o suco da mexerica para temperar suas receitas. Desta vez, quem nos apresenta suas experiencias gastronômicas com a mexerica é o empresário e gourmet, também aplicado aluno de gastronomia, Adriano Bernardes.

 

Nascido em Brumadinho, filho de padeiro, ele conta que, nas férias escolares, quando não estava ajudando seu pai na padaria da família fazendo as entregas, durante o inverno se espetava nos espinhos das mexeriqueiras, que vez por outra lhe reservavam a surpresa dos terríveis marimbondos. No verão, a aventura era nos quintais, subindo nas jabuticabeiras. Até hoje, Adriano não abre mão dos deliciosos sabores que, através de suas memórias gustativas, lhe remetem às temperadas e saudosas travessuras de criança.

 

As duas frutas são tão abundantes e populares em sua terra que, anualmente, acontecem as festas da jabuticaba – no distrito de Aranha, em novembro – e da mexerica – no distrito de Melo Franco, no mês de junho. Como bom gourmet, Adriano escolheu para sua receita um delicioso pato laqueado no caramelo de mexerica e, de quebra, deu a alternativa de um molho agridoce de jabuticabas com cachaça.

 

 

 

*Eduardo Avelar é chef de cozinha e um dos fundadores da Conspiração Gastronômica. Escreve mensalmente na Encontro

Últimas notícias

Comentários