Da entrada à bebida

por Aline Gonçalves 03/05/2012 14:41

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Emmanuel Pinheiro, João Carlos Martins, Maíra Vieira, Eugênio Gurgel
None (foto: Emmanuel Pinheiro, João Carlos Martins, Maíra Vieira, Eugênio Gurgel)

Pequenas, meio ácidas e normalmente de origem estrangeira, as frutas vermelhas agradam não somente a chefs internacionais. A prova de que também os mineiros se apaixonaram por elas é a quantidade de pratos que figuram em casas de todos os estilos, das especialistas em drinques às padarias, passando por cozinhas internacionais sofisticadas.

 

E não é apenas no verão: atualmente, mesmo em outras épocas do ano, os menus ficam repletos de combinações com as delícias, graças à tecnologia empregada em plantio e colheita. “Em doces, elas são quase uma obrigação gastronômica, porque dão um azedinho e um frescor”, destaca Hugo Baumecker, sócio do bistrô Cinecittà. A convite de Encontro, ele apresenta uma receita de semifreddo de frutas vermelhas nesta edição, similar a sugestões servidas no estabelecimento.

 

Para Baumecker, a popularização do uso dessas frutas não parte apenas das saborosas misturas que elas conseguem criar, mas também da facilidade de encontrá-las. “Antes, você não achava nada aqui; mas agora, tenho certeza de conseguir o produto em qualquer período, mesmo que haja variação de preço”, explica.

 

Responsável pela confeitaria e padaria do Super Nosso Gourmet, Fernando Abdo aponta outro motivo para a disseminação do uso das frutinhas na cozinha. “Elas são versáteis, combinam com doces, a exemplo dos nossos tarteletes e cheesecakes, e até pães”, ensina. Assim, ele antecipa o preparo de uma novidade na loja: o pão-de-ló recheado com framboesa. “Essa receita é tradicional, foi criada em homenagem à rainha Victoria, da Inglaterra, e até hoje é consumida no chá da tarde”, revela.

 

Pratos principais também foram conquistados pelo azedinho palatável. O chef do novíssimo Chez Fumoir, Clécio Campos, por exemplo, apresenta o diferente carré de cordeiro em crosta de ervas com coulis de frutas vermelhas. Já André Melo, da Speciali Pizza Bar, fez a inusitada junção de pescados com as pequeninas. “Considero as frutas vermelhas essenciais, inclusive as nossas brasileiras, como o açaí. Eu trabalhava na Europa com elas e, com a facilidade de importação, é uma possibilidade que se abre”, defende Campos, que viveu na Espanha por mais de cinco anos.

 

Para acompanhar os pratos, vale ainda uma bebidinha, com álcool ou não. Quem ensina as opções é a bartender do Applebee's, Kelly Rodrigues. “A procura por drinques com essas frutas é grande, porque são visualmente bonitas e o sabor se destaca”, conta. Aos que preferem se arriscar a misturar as frutas com álcool, ela dá uma dica: “A vodca harmoniza melhor com as frutas vermelhas porque é mais encorpada e forte e, por isso, realça o sabor”, ensina.

 

 
 
 
 


 

Últimas notícias

Comentários