Tiradentes, vinho e jazz

Cidade recebe a primeira edição do Vinho & Jazz Festival, evento que promete movimentar o calendário turístico gastronômico mineiro sempre em junho

por Neide Magalhães 20/06/2013 14:39

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Cláudio Cunha
A bucólica Tiradentes está se firmando como importante polo cultural e gastronômico de Minas (foto: Cláudio Cunha)
Cenário perfeito: o céu azul, o paredão verde-escuro da Serra de São José, o casario e as igrejas barrocas, as ruas de pedra, tudo com o charme do friozinho de junho. Tiradentes não podia ser mais encantadora nesta época, ideal para um festival que reúne boa música e bons vinhos. De 14 a 16 de junho, o 1º Vinho & Jazz Festival, idealizado por Pacco e Bacco Wine Bar, em parceria com a Libertas Viagens e Experiências, levou à cidade histórica um público curioso e ávido pela mistura cultural.

Durante três dias, o Largo das Forras se transformou em espaço democrático de importadores de vinhos, apreciadores da bebida e amantes do jazz. Com mesas espalhadas pela praça e estandes vendendo os mais variados rótulos, além de palestras no espaço Pacco e Bacco com convidados especializados, o festival mostrou sua força logo de cara ao atrair muitos turistas à cidade no fim de semana. Pousadas e hotéis, lojas e restaurantes tiveram bom movimento, apostando no alto padrão do evento.

Divulgação
Fernanda Fonseca, da Libertas, com Waldemar Kischinhevsky e Francisco Rodriguez, organizadores do festival, em Tiradentes (foto: Divulgação)
Divulgação
Detalhe da mesa no teste cego: brancos e tintos de vários países em competição no Top Five (foto: Divulgação)
Entre as atrações do 1º Jazz & Vinho a apresentação do que vem sendo chamado de "o primeiro vinho genuinamente mineiro", Primeira Estrada, feito com uva syrah cultivada em Três Corações, no Sul de Minas, onde nasceu o tinto que faz alusão à Estrada Real. O vinho, que ainda encontra alguma resistência entre os compradores, é capaz de competir com outros rótulos nacionais de qualidade e ganhou o aval dos produtores do festival.

Outro ponto alto da programação foi o Top Five, degustação às cegas que reuniu sommeliers como Renato Costa (restaurante Villa Roberti, BH), Benedito Filho (Trindade, BH) e Deise Novakoski (Eça, Rio de Janeiro) e os consultores Júlio Anselmo e Ana Luíza Borges, ambos de BH. A "competição" foi coordenada pelo sommelier paulista Alexandre Furniel. Os cinco vinhos selecionados entre os 26 degustados, por ordem decrescente, foram: Chilcas Cabernet Franc 2010 (Chile), Tamarí Malbec 2011 (Argentina), Chilcas Sauvignon Blanc 2012 (Chile), Sios Selection 2009 (Espanha) e Inurrieta Cuatrocientos Crianza 2008 (Espanha).

Mais informações sobre o festival no site www.tiradentesvinhoejazz.com.br.












*A jornalista viajou a convite da organização.

Últimas notícias

Comentários