Sem semente e cheia de nutrientes

Como resultado de mais uma pesquisa da Embrapa, o Brasil ganha sua quinta variedade da fruta, rica em vitaminas e minerais

por Cristina Indio do Brasil - Agência Brasil 04/11/2013 14:41

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
FreeDigitalPhotos.net
(foto: FreeDigitalPhotos.net)
Os consumidores brasileiros terão à disposição nos supermercados e sacolões, em breve, mais uma variedade de uva sem semente. A nova espécie da fruta, chamada de isis, foi desenvolvida pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), e passa a ser o quinto tipo de uva sem sementes criada a partir de pesquisas – já existem no país as variedades clara, linda, morena e vitória.

Alexandre Hoffmann, chefe adjunto de transferência de tecnologia da Embrapa Uva e Vinho, em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, explica que todas foram desenvolvidas em Petrolina (Pernambuco) e, assim, permitem que o produtor possa contar com uma tecnologia gerada no próprio país: "O Brasil, que já é pioneiro em diversas áreas de tecnologia, também está à frente nas pesquisas de variedades de uvas com semente e sem".

Segundo o técnico da Embrapa, o aumento no consumo de uvas sem semente no Brasil provocou o crescimento da produção da fruta. Antes desse movimento, a maior parte da safra se destinava à exportação. "Houve um aumento da demanda e da concorrência no mercado externo. Isso fez com que se aumentasse a oferta no mercado brasileiro. Assim, o consumidor, hoje, tem acesso a um produto de maior qualidade, se compararmos com o que tínhamos antes, quando só se encontrava a fruta importada a altas preços", diz.

De acordo com dados da Embrapa, em 2012 foram produzidas no Brasil 1,5 milhão de toneladas de uvas com e sem semente, sendo 600 mil toneladas destinadas ao consumo in natura. No caso das chamadas uvas de mesa, são destaque como regiões produtoras a Bahia, Minas Gerais e o Rio Grande do Sul.
 
Com o maior acesso à uva, o consumidor brasileiro passou a consumir uma fruta considerada importante no combate a alguns tipos de doenças. De acordo com a chefe do serviço de nutrição do Instituto Nacional de Cardiologia, Andréa Damazio, todas as qualidades da fruta são ricas em vitamina C, A, potássio e fibras. Por isso, é classificada como alimento funcional, ou seja, ajuda o organismo a se proteger.

"O potássio é importante para evitar cãimbras e para manter a pressão arterial normal. A vitamina A é essencial para a visão, a constituição da pele, e é um antioxidante natural. Já a vitamina C está ligada ao combate a infecções e resfriados. As fibras, presentes em outros alimentos, como pães e massas, são importantes para o bom funcionamento intestinal", explica a nutricionista. As uvas com tons roxos, segundo ela, são ainda melhores, por possuirem mais substâncias ativas que as verdes, em especial carotenos, catequinas, antocianina e flavonoides.

Andréa Damazio esclarece que uvas sem semente, com casca roxa, possuem o resveratrol, um composto fenólico cardioprotetor: "Devido à sua ação antiagregação plaquetária e redutora de triglicerídeos, além de antioxidante, ajuda na diminuição da incidência de Alzheimer e na redução da oxidação das gorduras e na formação de arterioesclerose".

Para que se tire proveito dos nutrientes presentes na fruta, a nutricionista indica o consumo diário de uma porção de 100 gramas, o equivalente a 10 unidades.

Últimas notícias

Comentários