Japa moderninho

Restaurante de comida asiática, que inova nos acompanhamentos, inaugura nova unidade na Pampulha

por Augusto Franco 31/03/2014 11:19

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.


Rogério Sol
O sushiman Marcelo San está à frente da nova casa, criada em modelo de franquia (foto: Rogério Sol)
 
 
Trata-se de um daqueles vizinhos que todo mundo gostaria de ter. Seu nome é Hannah, casa de comida asiática fusion – modalidade em que os cortes de peixe cru ganham acompanhamentos menos tradicionais, como o cream cheese e temperos brasileiros. A primeira unidade de Belo Horizonte fica em um centro comercial da avenida Portugal, no bairro Santa Amélia, na região da Pampulha. A matriz, em Ouro Preto, está aberta desde 2013. A proposta é que o restaurante, concebido para se multiplicar em sistema de franquia, logo esteja em outros bairros de BH. Um ponto no Anchieta, na Zona Sul, já está na mira dos donos do Hannah.

Quem garante é o sócio da casa, o sushiman e chef carioca Marcelo San, que comandou durante cinco anos a cozinha do Udon, premiado japonês com toques de modernidade no Lourdes. Mineiro por adoção há uma década, o mestre das facas decidiu mudar de ares no fim do ano passado. Em outubro, San se estabeleceu em Ouro Preto, mas o sossego durou pouco. "Queria repensar minha vida, até cogitei voltar para o Rio de Janeiro. Mas fui procurado por um grande amigo, cliente antigo, e ele me convenceu a ficar em BH", conta o chef.

O amigo em questão é o empresário Luiz Gustavo Pereira, vice-presidente da Tracbel, uma das principais revendedoras de maquinário pesado do Brasil, com sede em Contagem. Foi ele quem criou o modelo administrativo, de olho na expansão da procura dos moradores da cidade por restaurantes mais sofisticados fora da região Centro-Sul. "A Lei Seca veio para ficar e está mudando muito rapidamente os hábitos de consumo da população. Com medo das blitze, nosso cliente quer comer bem, de preferência num lugar onde ele possa ir a pé ou pagar barato no táxi. Se não, a experiência não vale a pena", avalia Marcelo San.

O cardápio da casa conta com alguns conhecidos do público, caso do ebidom, enrolado de camarão com cream cheese envolto em uma tira de salmão cozida com maçarico; robatas e makis. Trouxe a minha bagagem comigo. Tenho muitos amigos que adoraram a oportunidade de conhecer alguns preparos", comemora o chef, morador da Pampulha desde que se estabeleceu nas alterosas.

Últimas notícias

Comentários