Toxina da carambola pode levar à morte, diz especialista

Devido aos riscos de se ingerir a típica fruta brasileira, no interior de São Paulo, um vereador criou um projeto de lei para proibir sua comercialização na forma de suco ou outros derivados

por Fernanda Nazaré 25/08/2014 14:31

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Freeimages
A simpática fruta, que ao ser cortada lembra uma estrela, pode até matar pessoas que têm insuficiência renal (foto: Freeimages)
Não é lenda e nem crendice popular. Carambola pode fazer mal, sim, dizem os especialistas. Mas, ao contrário do que muitos acreditam – e que consta em muitos sites na internet –, não é o rim que sofre por conta da substância tóxica presente na fruta. De acordo com o presidente da Sociedade Mineira de Nefrologia, Fernando Lucas Junior, a carambola possui uma neurotoxina que pode afetar o sistema nervoso central. Os sintomas podem ir de uma simples tosse, à confusão mental, com sonolência e até o coma.

A crença de que o rim é o órgão prejudicado pela fruta surgiu por que ele permite a absorção do "veneno". Na verdade, os rins apenas deixam a substância tóxica passar se não estiverem saudáveis, pois, do contrário, eles nos protegem dela. Se estiver em perfeito funcionamento, o órgão filtra essa substância e a elimina do organismo. O problema, segundo o médico, é para quem tem algum tipo de insuficiência renal e consome a fruta. "O rim debilitado, com cerca de 10 a 15% de sua capacidade de funcionamento, pode se intoxicar com a carambola. O problema é que a insuficiência renal é assintomática, então, a pessoa pode comer a carambola, sem saber que está doente, e passar mal", diz o nefrologista sobre o risco da doença renal, que pode ser silenciosa.

Como o rim é um "filtro" biológico, em condições normais, ele retira todas as impurezas do organismo de um indivíduo saudável, explica o especialista. Mas quando o "filtro" deixa de funcionar, aumenta o risco de substâncias perigosas passarem para a corrente sanguínea. Outras doenças também podem afetar o rim, e exigem o mesmo alerta ao se consumir a carambola. Portadores de diabetes, hipertensão, pessoas acima de 60 anos e que possuem histórico familiar de doenças renais, são aconselhados a fazer um rastreamento, ou seja, exames que busquem apontar se há problemas ocultos no órgão que filtra o sangue.

Até lei

Os riscos de se consumir a carambola geram até situações inusitadas. Desde 2008, comerciantes da cidade de Jaú, no interior de São Paulo, estão proibidos por uma lei municipal de vender suco da fruta. O projeto, do então vereador José Mineiro de Camargo (PSB), foi aprovado por unanimidade, e veta lanchonetes, bares, restaurantes e repartições públicas de vender seus derivados.

Além disso, estabelecimentos de saúde devem fixar cartazes de alerta com os seguintes dizeres: "Pacientes com insuficiência renal estão proibidos de comer o fruto, o doce, ou ingerir o suco da carambola, seja qual for o grau da insuficiência, pois a fruta produz neurotoxina que concentra-se no sangue, atinge os neurônios em concentração maior e provoca soluços, convulsões, podendo levar até a morte. Portanto, não comam".

Últimas notícias

Comentários