Estudantes criam microcervejaria na faculdade

A EngBeer, que leva o mesmo nome do projeto multidisciplinar, ajuda alunos de engenharia, ciências contábeis, gestão comercial e administração a experimentar o mercado de trabalho

por Da redação com assessorias 18/11/2014 12:18

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
A primeira cerveja artesanal produzida pelos estudantes é do estilo belgian pale ale (foto: Divulgação)
Alunos e professores dos cursos de engenharia mecânica, produção e civil, ciências contábeis, gestão comercial e administração da Faculdade Pitágoras de Belo Horizonte implantaram um projeto de microcervejaria artesanal, que desenvolve, da teoria à prática, todo o modelo de negócio que envolve a produção de cerveja. Com isso, surgiu o EngBeer, que estimula o empreendedorismo e possibilita que estudantes, sob a tutoria de professores, coloquem à prova os conhecimentos adquiridos durante o curso de graduação, preparando-os para desafios reais do mercado de trabalho.

A iniciativa surgiu do professor de física Renato Alves Pereira, mestre cervejeiro que decidiu introduzir uma cervejaria artesanal como um projeto de pesquisa multidisciplinar para os alunos da faculdade. "Convidei o professor Bruno Lambertucci Araújo Alberto, da engenharia de controle e automação, que tem muita experiência na área de empreendedorismo, para que, juntos, pudéssemos desenvolver com os alunos um projeto capaz de reunir diversas áreas de conhecimento pelo qual pudessem experimentar, ainda na faculdade, a experiência que vão encontrar no mercado de trabalho", conta.

Renato explica que o projeto se mantém ativo, pois, a cada semestre, novos desafios são propostos aos alunos: "Esse conhecimento fica acumulado, o que proporciona ao mesmo tempo o desenvolvimento e a consolidação do projeto".

O projeto EngBeer funciona com os estudantes divididos em dois grupos, cada um deles coordenado por um professor-tutor. O grupo de gestão é responsável por atividades como cronograma físico-financeiro, fluxo de caixa, manutenção da identidade visual, captação de financiamento e patrocínio, elaboração do modelo e do plano de negócio. Já o de produção, envolve a manutenção e a evolução do kit de fabricação artesanal, a manutenção do laboratório e elaboração de novas receitas.

A primeira receita produzida pelos alunos foi a belgian pale ale, que apresenta um aroma proeminente de malte com caráter moderado e menor nota do lúpulo. E posusi ainda presença de fenóis de baixa a muito baixa.

Para Paulo Henrique Barroso Menezes, coordenador acadêmico da faculdade, as atividades melhoram a formação dos alunos: "Colocam o conhecimento em ação e desenvolvem a visão de negócio e inovação, o que melhora a qualidade do ensino nas disciplinas envolvidas, a interdisciplinaridade a empregabilidade de nossos alunos e principalmente o desejo de inovação".

Últimas notícias

Comentários