Corante caramelo IV faz mal?

A substância química gerada pelo processo de caramelização de produtos, e muito usado na indústria alimentícia, como na fabricação de refrigerantes e energéticos, pode causar alguns tipos de câncer

por Fernanda Nazaré 04/12/2014 10:07

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
João Paulo Martins/Encontro
As marcas de refrigerante de cola mais vendidas no Brasil e no mundo usam o polêmico corante caramelo IV (foto: João Paulo Martins/Encontro)
Na hora em que dá "aquele calor", logo vem a vontade de beber um refrigerante gelado, principalmente das famosas marcas americanas que têm o produto à base de noz de cola, não é? O problema é que você está ingerindo muito mais que altas quantidades de açúcar e sódio. Nesse tipo de bebida, e também em algumas marcas de energético, é possível encontrar o 4-Methylimidazole, conhecido também como "caramelo IV" – um corante extraído por meio do processo de caramelização e aquecimento de determinados produtos.

Sua grande concentração no organismo pode levar ao surgimento de câncer de pulmão, de esôfago e até mesmo leucemia, segundo estudo feito pelo Programa Nacional de Toxicologia do governo dos Estados Unidos.

Após o resultado do estudo, que foi publicado em 2012, a Agência Internacional para Pesquisa em Câncer, que é um órgão vinculado à Organização Mundial da Saúde (OMS), incluiu o caramelo IV em sua lista de substâncias possivelmente cancerígenas.

Por sua vez, o centro de pesquisa CSPI (Center for Science in the Public Interest), em Washington, capital dos Estados Unidos, listou os países do mundo em que mais se utiliza a substância como ingredientes de refrigerantes de cola, e o Brasil, infelizmente, é o campeão: são 267 microgramas (mcg) a cada 355 ml de bebida. Em segundo e terceiro lugar estão o Quênia e o Canadá, respectivamente, com 177 mcg e 160 mcg.

Apesar desse panorama nada saudável para os consumidores brasileiros, a quantidade usada por nossa indústria está dentro dos padrões estabelecidos pela Agência de Vigilância Sanitária  – mas é nove vezes maior do que a estabelecida, por exemplo, pelo governo do estado da Califórnia (EUA). O refrigerante vendido aos norte-americanos residentes nessa região pode ter, no máximo, 39 mg de caramelo IV a cada 350 ml. Por aqui, a recomendação de uso máximo é de 5g a 100g a cada 100ml.

Uma das maiores fabricantes de refrigerante de cola no Brasil e no mundo afirmou, em nota à imprensa, na época da publicação do estudo do Programa Nacional de Toxicologia nos Estados Unidos, que, para o brasileiro ingerir a quantidade do corante recomendada pela Anvisa, teriam de ser consumidos 80 litros da bebida diariamente. Além disso, a empresa comparou seu produto ao café: "Os níveis de caramelo IV encontrados em cafés, por exemplo, são maiores que os obtidos em refrigerantes, segundo a Anvisa. Apesar de o café não ter adição do corante, o ingrediente pode ser formado naturalmente durante a torrefação dos grãos, bem como em outros alimentos submetidos a aquecimento, inclusive no preparo caseiro", diz a nota.

Agora, resta a dúvida: vale a pena arriscar?

Últimas notícias

Comentários