Burger King propõe trégua ao McDonald's

A duas empresas de sanduíches são, historicamente, grandes concorrentes, mas, ao que tudo indica, a 'parceria' em forma de hambúrguer não será realizada

por João Paulo Martins 26/08/2015 16:21

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Mcwhopper.com/Reprodução
Imagine se você pudesse comprar um hambúrguer que misturasse o melhor do McDonald's com o carro-chefe do Burger King? (foto: Mcwhopper.com/Reprodução)
Quem faz o melhor hambúrguer? McDonald's ou Burger King? É uma disputa difícil, não é mesmo? Mas, e se elas se unissem, num dia do ano, para promover a paz? A ideia inusitada partiu do Burger King, empresa que tem um pé no Brasil – após ser adquirida pela Restaurant Brands International, que tem como sócio o bilionário brasileiro Jorge Paulo Lemann. A hamburgueria publicou um anúncio nos jornais americanos New York Times e Chicago Tribune, que é, na verdade, uma espécie de "carta aberta", propondo a parceria entre as duas concorrentes.

No texto, a empresa com sede em Miami, na Flórida (o McDonald's é de Chicago), propõe que no dia 21 de setembro deste ano, as duas marcas se unam em prol da paz, oferecendo ao público um produto diferenciado, fruto dessa "miscigenação". Neste caso, seria chamado, em princípio, de "McWhopper". É a mistura dos dois hambúrgers tradicionais das marcas: o Big Mac e o Whopper. A data especial seria chamada de Dia Internacional da Paz. O Burguer King deixa claro, ainda, que está aberto a sugestões e que aguarda ansioso a resposta da concorrente.

Mcwhopper.com/Reprodução
A ideia do Burger King era criar um sanduíche chamado McWhopper, que mistura o Big Mac com o Whopper, para celebrar o Dia Internacional da Paz (foto: Mcwhopper.com/Reprodução)


Porém, por meio de uma postagem na conta oficial do McDonald's no Facebook, o CEO da empresa, Steve Easterbrook, diz que é uma ótima ideia ter como inspiração uma boa causa, e que ama a intenção de se buscar a paz, mas, que as duas marcas podem fazer algo muito mais importante, que pode fazer a diferença no mundo. "Vamos deixar claro que entre a gente existe simplesmente uma competição amigável de negócios, o que, certamente, não se compara à realidade de dor e sofrimento que é uma guerra", diz Steve.

O CEO do McDonald's ainda finaliza a publicação no Facebook com uma observação irônica: "Um simples telefonema pode ajudar, da próxima vez".

Últimas notícias

Comentários