Glutamato monossódico faz mal?

O uso da substância, que é encontrada em diversos produtos industrializados, vem gerando muita discussão na internet devido a possíveis efeitos colaterais que provoca em nosso organismo

por Vinícius Andrade 14/09/2015 16:55

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Channel.nationalgeographic.com/Reprodução
Os salgadinhos, admirados por crianças, são 'ricos' em glutamato monossódico,que, segundo a nutricionista, pode provocar dependência (foto: Channel.nationalgeographic.com/Reprodução)
Talvez você não reconheça o glutamato monossódico pelo nome, mas, certamente, já sentiu o gosto dele na comida. Trata-se de um aminoácido muito utilizado em alimentos industrializados para provocar o "quinto sabor", também chamado de umami – equivale à sensação de "gostosura" do alimento. Diversos sites e blogs apontam a substância como uma vilã da saúde e responsável por inúmeros efeitos colaterais, como dor de cabeça, aceleração dos batimentos cardíacos e dores no peito. Mas, será que ela realmente é tão prejudicial ao nosso organismo?

Segundo a nutricionista clínica Taiana Mattos, o glutamato monossódico, em excesso, pode ser um risco à saúde, podendo resultar em enxaqueca, tonteira, coceira, sudorese excessiva e até mesmo em depressão, como consequência a longo prazo. "O indicado é não consumir esses alimentos industrializados. Como as pessoas acabam comendo, o ideal é não se exceder. Já que cada organismo reage de uma maneira diferente, não é possível estipular uma quantidade que seja considerada aceitável do glutamato", explica a especialista.

Na maioria dos países, é obrigatório que a substância apareça na lista de ingredientes dos alimentos industrializados. No Brasil, muitas vezes ele é apresentado como realçador de sabor ou GMS. Normalmente, é encontrado em molhos prontos, alimentos em conserva, salgadinhos, comida congelada, ketchup, sopas em pó ou enlatadas, caldos para carnes e temperos industrializados.

De acordo com a nutricionista, além dos efeitos colaterais, o GMS também tem um poder viciante. Ele pode atuar no sistema nervoso central da pessoa e torná-la "refém" do produto. Por isso, muitas crianças não conseguem largar os salgadinhos industrializados.

Contraponto

Apesar dos sintomas apresentados e da advertência de muitos médicos e nutricionistas, o Food and Drug Administration ou FDA, órgão responsável pelo controle dos alimentos nos Estados Unidos, considera o glutamato monossódico seguro, mas cujo uso deve ser indicado no rótulo dos produtos.

Últimas notícias

Comentários