Frutas cítricas só podem fazer mal se associadas a medicamentos

Ao contrário do mito que diz que as frutas ácidas e ricas em vitamina C afetam o coração, uma especialista mostra que elas são muito benéficas e só merecem atenção quando consumidas junto com algum remédio

por Vinícius Andrade 07/10/2015 15:53

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
O consumo de frutas cítricas, como a laranja, só deve ser evitado quando se está tomando alguns tipos de remédios (foto: Pixabay)
Elas auxiliam na prevenção de problemas cardiovasculares, reduzem o risco de câncer e ajudam no controle do colesterol. Fontes de Vitamina C, as frutas cítricas ainda são saborosas e refrescantes. Porém, nossas aliadas podem se transformar em um perigo se estiverem combinadas com alguns medicamentos.

De acordo com a nutricionista Elisabeth Chiari, diretora do Conselho Regional de Nutricionistas de Minas Gerais, medicamentos como anti-inflamatórios esteroides e não esteroidais, como Cataflan e Voltaren, analgésicos e antipiréticos não podem ser ingeridos junto a sucos de frutas cítricas. Bebidas à base de limão, laranja e maracujá, por exemplo, podem aumentar o risco de gastrite, úlcera, náuseas, vômitos e até mesmo acarretar em casos mais extremos de doenças cardíacas, como arritmias.

"Quando precisamos fazer uso de qualquer medicamento, especialmente se for por um período prolongado, devemos ficar atentos às reações que as substâncias presentes nos remédios podem provocar na nossa saúde nutricional e vice-versa", pontua Elisabeth Chiari.

Outro lado negativo das frutas cítricas é que elas são muito ácidas, podendo resultar em sensibilidade excessiva nos dentes e agravar problemas no aparelho digestivo, como azia, refluxo gástrico e estomatite. "Vale sempre lembrar que o que conta é a individualidade. O que pode causar malefícios para um, pode trazer benefícios para outro", ressalta a nutricionista.

A especialista ressalta ainda que as frutas cítricas estão longe de receber o rótulo de vilãs. Elas são ricas em fitoquímicos, substâncias com potencial favorável na prevenção cardiovascular. Além disso, o alimento também é fonte de flavonoides, compostos químicos que possuem atividades antioxidantes, que ajudam na prevenção do câncer.

Últimas notícias

Comentários