Pesquisadores criam hambúrguer feito de fibra de caju

O principal ingrediente é o refugo da indústria de beneficiamento do suco da fruta, que é típica da região nordeste do Brasil

por Da redação 30/10/2015 09:05

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Ana Elisa Sidrin/Embrapa/Divulgação
O hambúrguer feito com fibra do caju e proteína de soja, se mostrou mais barato e saboroso que os produtos vegetarianos e veganos existentes no mercado (foto: Ana Elisa Sidrin/Embrapa/Divulgação)
A Embrapa do Ceará desenvolveu um hambúrguer que tem como principal ingrediente a fibra do caju – um subproduto abundante das fábricas de suco, e que normalmente é descartado. Projetada para a produção industrial, a principal receita prevê a incorporação de proteína de soja. A Embrapa criou também uma formulação com feijão-caupi (ou feijão-de-corda) como proteína e foi planejada para a produção doméstica, com o objetivo de oferecer uma alternativa de renda a agricultores familiares.

Segundo a pesquisadora Janice Lima, da Embrapa, essas formulações representam um aprimoramento do hambúrguer feito unicamente com a fibra de caju e condimentos, por adicionarem proteína vegetal em sua composição. Estudos realizados pela instituição de pesquisa agropecuária identificaram que o produto feito apenas com a fibra de caju apresentava aceitação sensorial mediana e baixo teor proteico. Foram desenvolvidas, então, as novas formulações que associam uma fonte proteica vegetal ao bagaço do caju e condimentos que aprimoram o paladar.

Em comparação com outros hambúrgueres vegetais disponíveis no mercado, o hambúrguer de caju da Embrapa apresentou excelente aceitação em testes de análise sensorial e de intenção de compra. Além disso, possui apenas metade das calorias do seu similar de carne bovina e pode ser uma boa alternativa para compor dietas com restrição ao consumo de proteína animal, vegetarianas ou veganas.

A tecnologia já está finalizada e disponível a interessados em fabricar o produto. "A ideia é promover o aproveitamento do subproduto da fabricação de suco de caju, aumentando a cadeia de valor da cajucultura", diz a pesquisadora. Segundo ela, a fibra, que é abundante e barata, pode ser aproveitada em inúmeros produtos, como biscoitos e barras de cereal, dentre outros.

Ana Elisa Sidrin/Embrapa/Divulgação
(foto: Ana Elisa Sidrin/Embrapa/Divulgação)

 
Bom e barato

O principal insumo do hambúrguer vegetal, a fibra do caju, representa apenas 3% dos custos variáveis de composição do produto. "É um custo muito baixo para a matéria-prima principal do produto", diz o economista Pedro Felizardo Pessoa, pesquisador da Embrapa responsável pela análise de viabilidade econômica da tecnologia. Segundo ele, um quilo do bagaço de caju pode ser adquirido por R$ 0,30.

Como a principal matéria-prima é barata, existe uma repercussão no preço final do produto. O estudo de viabilidade econômica aponta que enquanto o quilo de outros hambúrgueres vegetais pode ser encontrado no mercado por R$ 50, o do hambúrguer vegetal desenvolvido na Embrapa pode ser comercializado por R$ 12 (24% a menos do preço de outros tipos de hambúrguer vegetal). O preço é também menor que o do hambúrguer de carne bovina, cujo quilograma pode ser encontrado no mercado por R$ 15.

(com Assessoria de Imprensa da Embrapa)

Últimas notícias

Comentários