Três marcas de palmito estão proibidas de serem comercializadas

A decisão da Vigilância Sanitária do Rio Grande do Sul está ligada a uma operação contra a extração ilegal de palmito no estado

por Encontro Digital 07/12/2015 15:20

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Ministério Público/RS/Divulgação
A Vigilância Sanitária do Rio Grande do Sul encontrou sérios problemas na produção de palmito no estado, incluindo higiene precária e presença de produtos vencidos (foto: Ministério Público/RS/Divulgação)
Após a realização da operação intitulada Ju$$ara, encabeçada pelo Ministério Público Estadual do Rio Grande do Sul, em novembro deste ano, contra a extração ilegal de palmito da espécie nativa juçara, a Vigilância Sanitária estadual decidiu pela proibição da produção e comercialização de três marcas do produto.

Das quatro indústrias de conservas de palmito avaliadas pela operação, três estão localizadas no litoral norte do Rio Grande do Sul e foram interditadas pela Vigilância Sanitária, em cumprimento a uma determinação judicial, que levou em conta questões de saúde como: higiene precária; presença de produtos vencidos; conserva de palmito sem rotulagem em áreas de expedição; e ausência do registro do controle do pH.

As marcas proibidas de serem comercializadas são Conservas Serra Azul, Conservas Manzan e Três Forquilhas Brehm.

A Vigilância Sanitária do Rio Grande do Sul recomenda algumas ações para se eliminar o risco de intoxicação alimentar causada pela ingestão da neurotoxina botulínica, que pode estar presente na conserva de palmito, devido ao processamento inadequado e falta de controle do pH da conserva, que deve estar abaixo de 4,5:

  • Antes do consumo, ferver o produto na embalagem original após a retirada da tampa, em banho-maria, por 15 minutos

  • Verificar as condições do produto quanto a vazamentos, estufamento e presença de ferrugem na tampa

  • Observar as condições do líquido em que o palmito estiver imerso, que deve estar límpido e claro

  • Quanto ao rótulo, verificar a presença de lacre transparente e tampa litografada (impressão gráfica na tampa) com as informações obrigatórias do fabricante (razão social, CNPJ, endereço completo)

  • No rótulo, observar a presença da denominação do produto (conserva de palmito) com a identificação da espécie, lote, prazo de validade e peso líquido/drenado

  • As informações litografadas na tampa referentes ao fabricante devem ser as mesmas apresentadas no rótulo

Últimas notícias

Comentários