Boato relaciona refrigerante a problemas renais e até câncer

Afinal, as bebidas tão consumidas contêm mesmo fenofinol, almeido e voliteral, como diz a mensagem que circula nas redes sociais?

por Vinícius Andrade 23/03/2016 08:24

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Nem mesmo o especialista confirma a existência das substâncias fenofinol, almeido e voliteral, que supostamente fariam parte de muitos refrigerantes (foto: Pixabay)
Não é novidade que os refrigerantes fazem mal à saúde. Mas, nas últimas semanas um texto voltou a circular nas redes sociais alertando sobre os perigos da bebida. A mensagem diz que três supostos componentes (fenofinol, almeido e voliteral) seriam responsáveis por causar problemas renais graves e até tumor no reto. O conteúdo ainda contém a assinatura de uma funcionária da Sociedade Brasileira de Cardiologia. No entanto, a instituição já informou, por meio de nota à imprensa, que desconhece a suposta autora e que repudia a citação da entidade no boato.

A mensagem circula na internet desde 2002. Em outras ocasiões, as cervejas também foram acusadas de conter as substâncias fenofinol, almeido e voliteral. A Coca-Cola, principal alvo desta "edição", esclarece em seu site que "todos os produtos do portfólio Coca-Cola Brasil atendem aos mais rígidos controles de qualidade e às determinações legais em vigor". A empresa ainda garante que todos os ingredientes usados na composição dos refrigerantes estão presentes nos rótulos dos produtos.

A Coca-Cola ressalta ainda que os componentes citados não têm nenhum registro nos livros técnicos de referência para substâncias químicas, colocando em dúvida a existência deles. A mensagem que circula nas redes sociais diz ainda que pesquisas denunciando os refrigerantes foram realizadas pelo Instituto Fleury. Este, por sua vez, negou que tenha realizado testes com as bebidas e alertou os seguidores das redes sociais para a importância da checagem de informações relacionadas à saúde.

Segundo o médico José de Resende Neto, presidente da Sociedade Mineira de Nefrologia, não existe confirmação da existência das substâncias fenofinol, almeido e voliteral, e ainda acrescenta: "não existe nenhum estudo que comprove que determinado produto do refrigerante tenha relação direta com problema renal. Mas, isso não quer dizr que as bebidas não façam mal para os rins".

O especialista destaca que todo produto industrializado que contenha açúcar provoca síndrome metabólica, um conjunto de fatores que aumentam as chances de se desenvolver doenças cardíacas, derrames e diabetes. "Tomar refrigerante faz mal para o rim e para o organismo como um todo", resume o nefrologista.

Últimas notícias

Comentários