Berço da cerveja, na verdade, é a China

Arqueólogos encontram jarros da bebida datados de 5 mil anos

por Encontro Digital 24/05/2016 09:54

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Fragmentos de jarras de barro, com vestígios de cerveja, foram encontrados por arqueólogos no norte da China. A análise espectral mostrou que nestes potes foi guardada cerveja. As evidências obtidas por cientistas são provas de que a tecnologia de produção da bebida foi dominada pelos chineses há 5 mil anos.

Naquela época, existia uma receita única para a produção da cerveja, que combinava elementos das tradições tanto ocidental quanto oriental do processo cervejeiro. A análise dos vestígios amarelos da antiga bebida, encontrados nos potes de cerâmica, mostrou que ela foi produzida com base em cevada, painço, tubérculos e chocalheira.

Até então, sabia-se que a cerveja teria surgido entre os mesopotâmios, que foram os responsáveis pelo advento da agricultura, entre 10 mil e 2 mil antes de Cristo. A primeira fórmula para produção da bebida também foi criada na Mesopotâmia, no ano 1.760 a.C.

O que surpreendeu os cientistas foi o fato dos chineses daquela época cultivarem cevada. Anteriormente, era considerado que este produto só teria aparecido na China mil anos mais tarde. Os historiadores observam que a cevada era utilizada na China como ingrediente da cerveja e só depois começaram a cultivá-la para o consumo humano.

Os artefatos foram encontrados por arqueólogos próximo ao rio Wei, que fica na região norte da China. As escavações foram feitas em dois sítios arqueológicos datados de 3,4 mil a 2,9 mil anos antes de Cristo. Durante os trabalhos, os pesquisadorea também encontraram objetos que eram utilizados na produção e no armazenamento da cerveja.

A receita da bebida antiga permanece desconhecida, porém, os cientistas acreditam que tinha um sabor semelhante ao atual, ligeiramente mais adocicado.

(com Agência Sputnik e Portal EBC)

Últimas notícias

Comentários