Gosta de vinho? Que tal um à base de maconha?

Vinícola americana usa canabidiol para produzir um rótulo diferenciado

por João Paulo Martins 11/10/2016 12:05

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Facebook/cannawine.cbd.3/Reprodução
O vinho tinto californiano CannaWine é produzido com as uvas cariñena e garnacha e com extrato de Cannabis sativa L. (foto: Facebook/cannawine.cbd.3/Reprodução)
Syrah? Merlot? Cabernet? São várias as opções de uvas quando se trata de bons vinhos tintos. Agora, o que acha de adicionar um ingrediente inusitado a essa bebida tão apreciada no mundo? No estado da Califórnia, nos Estados Unidos, uma vinícola decidiu criar um rótulo que traz canabidiol em sua formulação.

Chamado de CannaWine, o curioso vinho tinto americano é feito com um blend (mistura) das uvas cariñena e garnacha acrescido de 50 mg de extrato de Cannabis sativa L., ou fitocanabidiol. Segundo a empresa, todos os ingredientes são provenientes de culturas orgânicas, sem uso de agrotóxicos. Além disso, a vinícola enfatiza que diferentemente da maconha, o CannaWine não proporciona efeitos alucinógenos, e sim, traz os benefícios medicinais da cannabis.

O projeto do polêmico vinho surgiu em 2010, e diversos testes foram feitos até que a bebida estivesse pronta para ser apresentada ao mercado. Isso só aconteceu em 2015. O enólogo responsável pela bebida é Pau Albó i Carles.

Além da Califórnia, o CannaWine pode ser adquirido em algumas sites e lojas da Europa, por um preço médio de 16 euros (cerca de R$ 56). O rótulo é vendido em garrafas de 500 ml.

De acordo com o site Vivino, a bebida à base de canabidiol combina com carne de boi, porco e cordeiro e com queijos fortes e maduros. Sua cor é vermelha de intensidade média, com aromas que remetem a frutas vermelhas e pretas, incluindo toques de ervas do Mediterrâneo e de buquê de flores. Na boca, é doce e de estrutura forte.

Últimas notícias

Comentários