Restringir glúten e lactose por conta própria é arriscado

Excluir esses nutrientes da dieta pode prejudicar a saúde de quem não tem intolerância nem alergia a eles

por Da redação com assessorias 17/10/2016 13:42

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Como esclarece o especialista, menos de 1% da população mundial tem doença celíaca, portanto, não se deve restringir o consumo de glúten por conta própria (foto: Pixabay)
Com status de inimigos de quem quer alcançar ou manter a boa forma, o glúten e a lactose acabam sendo cortados da dieta de muitos brasileiros sem um julgamento apropriado. Como explica o nutrólogo Antonio Herbert Lancha Junior, professor da Universidade de São Paulo (USP), a preocupação com a aparência e a busca por uma dieta saudável podem ter condenado esses nutrientes injustamente. "As pessoas tendem a procurar um culpado pelo aumento de peso, terceirizando a responsabilidade", diz o especialista.

Dados da pesquisa O Impacto da Rotina Moderna na Busca de Uma Vida Saudável, realizada pela farmacêutica Pfizer com quase 1,2 mil pessoas, comprovam que o assunto ainda é pouco compreendido: 55% dos entrevistados não sabem se apresentam restrição alimentar, por exemplo, ao glúten ou à lactose.

Por desconhecimento do próprio organismo, algumas pessoas cortam os nutrientes sem necessidade. Proteína presente em muitos cereais como trigo, centeio e cevada, o glúten é importante para nutrição. "Retirar alimentos com a substância da dieta altera a microbiota intestinal, diminuindo o número de bactérias benéficas e, por isso, a absorção de vitaminas do complexo B, que desempenham papel importante no metabolismo celular. Os alimentos ricos em glúten ajudam também a controlar glicemia e triglicérides", explica Lancha Junior. "Menos de 1% da população mundial tem doença celíaca, reação alérgica que realmente impede o consumo de alimentos com a substância. Devido à gravidade, essa situação requer acompanhamento médico. Por isso, esses ingredientes não devem ser cortados da dieta sem uma prévia consulta ao profissional", completa o especialista.

Já ao cortar o leite e seus derivados da alimentação, restringimos o consumo de fontes importantes de cálcio, mineral responsável, junto com a vitamina D, por manter ossos e dentes saudáveis. A lactase, enzima essencial para a digestão do leite, sofre variação em sua produção de acordo com a demanda. "Nos adultos que deixam de consumir leite e laticínios, a produção dessa enzima pode diminuir e causar dificuldade para digerir o leite ou até mesmo intolerância à lactose", esclarece o professor da USP.

E qual é o segredo da boa forma e saúde? A palavra de ordem é moderação. "Colocar-se em primeiro lugar e programar a alimentação do dia são minhas dicas de ouro", orienta Lancha Junior.

Últimas notícias

Comentários