Pimenta promove a longevidade?

Segundo estudo feito na China, o fruto poderia reduzir o risco de morte

por Vinícius Andrade 19/04/2017 08:58

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Estudo feito na China mostra que a pimenta pode ajudar também na longevidade, reduzindo o risco de morte (foto: Pixabay)
Estudos recentes sugerem que o consumo de pimenta pode levar a uma maior longevidade. Pesquisadores chineses analisaram a dieta de quase 500 mil pessoas durante sete anos. Aqueles que consumiram o fruto uma ou duas vezes por semana tiveram redução de 10% no risco de morte, em comparação com o grupo que não incluiu o tempero picante na refeição. As chances de óbito diminuíram 14% entre as pessoas que comiam pimenta de três a sete dias por semana.

Apesar dos fortes indícios, os pesquisadores da Academia Chinesa de Ciências Médicas afirmaram que os dados são resultado apenas da observação e que ainda são necessários mais estudos para comprovar a tese. O teste analisou pessoas com idades variando de 35 a 79 anos e que eram provenientes de 10 localidades diferentes da China.

Realmente funciona?

De acordo com a nutricionista Elisabeth Chiari, a pimenta possui uma substância chamada capsaicina, que tem ação antioxidante e anti-inflamatória. Ela auxilia na eliminação de toxinas do organismo, que aparecem devido à má alimentação, ao sedentarismo, à poluição, ao tabagismo, entre outros fatores. "É complicado afirmar que a pimenta, por si só, está associada à longevidade, pois, isso depende de diferentes fatores", pondera a especialista.

Ainda segundo a nutricionista, a pimenta ajuda no controle do colesterol e induz a morte de células cancerígenas. Além disso, o condimento aumenta a saciedade e o metabolismo (é termogênica), auxiliando, indiretamente, no emagrecimento. "Apesar dos benefícios da pimenta vermelha, é importante ressaltar que a ingestão excessiva pode provocar efeitos contrários aos esperados, sendo prejudicial ao sistema digestivo", alerta Elisabeth Chiari.

Hemorroidas

A pimenta é constantemente associada às temidas hemorroidas. Mas, será que essa relação procede? Conforme a especialista, o alimento não causa o problema, mas pode agravá-lo se o consumo for excessivo, uma vez que promove a dilatação dos vasos sanguíneos.

Para obter os efeitos benéficos do fruto, a nutricionista recomenda o consumo de até 30 mg de capsaicina por dia. Isso equivale a ingerir até seis unidades da pimenta dedo-de-moça, ou três pimentas do tipo jalapeño (mexicana), ou, ainda, meia unidade da malagueta.

Últimas notícias

Comentários