Mais do que moda

por Marcelo de Castro 17/08/2011 12:48

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Cláudio Cunha, Geraldo Goulart e Eugênio Gurgel
None (foto: Cláudio Cunha, Geraldo Goulart e Eugênio Gurgel)

“Não é de moda!” Quem conversar com algumas das mais badaladas blogueiras do ramo certamente vai ouvir essa frase. Seguida de uma série de expressões como “dicas para o dia a dia”, “comportamento”, “experiências próprias” e várias outras. Todas estão certas. Assim como o fato de que, em meio a tudo isso, as palavras e imagens que põem no ar ditam, sim, comportamentos, discussões e, principalmente, moda e estilo.

 

As amigas Natália Miranda (esq.) e Iara Leão criaram o Par de Jarras: “Estava em um hospital e uma menina virou para trás e perguntou se eu era do  blog. Ela queria conversar”, diz Natália

 

 

Até poucos anos atrás, falar do mundo do prêt-à-porter era um privilégio restrito àqueles com acesso às badaladíssimas passarelas de Paris, Milão, Nova Iorque e outros centros do tipo, e chegava aos reles mortais por meio de publicações tidas como referência ao redor do globo. Mas uma leva de gente criativa, com um mínimo de disposição e um ótimo trejeito para se comunicar com o público em geral mostra que esse universo antes etéreo está ao alcance de todos.

 

“Eu chamava atenção pelas produções que fazia nas roupas, mas tinha que me vestir bacana, porque a gente passa a maior parte do dia no trabalho. Fui com uma sobreposição que fiz e resolvi fazer um registro”, lembra a publicitária, escritora e cronista Cris Guerra, também articulista de Encontro. “No dia seguinte, registrei também e fiz um registro diário do meu figurino. Era uma brincadeira. Não sabia que estava sendo pioneira.”

 

“Não sabia nem que estava fazendo um blog”, acrescenta ela, autora do Hoje Vou Assim (www.hojeeuvouassim.com.br), atualmente uma das referências do assunto na blogosfera, com média de mais de cinco mil acessos diários e uma legião de mais de 11,5 mil seguidores no Twitter e outros 2,4 mil no Facebook. “Não ensino ninguém a se vestir. Faço escolhas todo dia e mostro possibilidades”, alerta. Mas o know-how não surgiu da noite para o dia. O primeiro blog que criou foi o Para Francisco, como uma forma de desabafo, como ela mesma afirma. Isso porque o marido Guilherme morreu enquanto ela carregava Francisco em uma barriga no sétimo mês de gravidez e ela queria deixar um legado do pai para o filho. A iniciativa deu tão certo que o blog se transformou em livro.

 

Foi em meio a isso tudo que ela começou a postar em uma página as roupas que usava para ir à agência de publicidade na qual trabalhava. As produções, segundo ela, eram uma forma de manter a “autoestima e o bom humor”. “Vivia duas emoções opostas. Sou apaixonada por roupa e já tinha uma relação com moda muito intensa. Uma relação como colecionadora mesmo”, revela. Daí a transformar a “brincadeira” em meio de vida também não foi tão simples e Cris teve que contar, inclusive, com sugestão de uma amiga para começar a por legendas no blog com as marcas das roupas que usava. “Foi uma coisa de impulso. A ideia de patrocínio custou a se desenhar na minha frente”, recorda. Só que a iniciativa amadureceu cada vez mais e, há aproximadamente um ano, ela largou o trabalho em agências de publicidade para se dedicar às crônicas e, principalmente, aos blogs. “Tive receito total. Mas, se não levasse adiante, não saberia onde poderia chegar. Se fosse o caso, faria algum freelance em publicidade. Mas nunca precisei. O blog ofereceu mais oportunidades”, comemora.

 

O receio superado por Cris Guerra, porém, é que o faz a jornalista Natália Miranda e a publicitária Iara Leão manterem como hobby o blog Par de Jarras (pardejarras.com), criado para por no ar os bate-papos sobre moda, maquiagem, cabelos, personalidades e tudo mais que movimenta o mundo fashion. “Resolvemos escrever para amigas e para a família. É um jeito de colocar o que somos em outro espaço”, conta Natália.

 

Ela ressalta que, apesar do prazer de dar dicas de looks, de restaurantes e até do que vivem no dia a dia, não têm pretensão de viver do blog. Hoje, Natália trabalha em revista de moda e Iara, no departamento de marketing de um banco. “Por enquanto, tratamos como hobby. Estamos no início da carreira profissional e temos outras atividades”, observa a blogueira, que reuniu com a amiga aproximadamente 600 seguidores fixos das dicas.

 

Com isso, o blog tornou-se também uma espécie de válvula de escape, como um espaço que permite às duas expressarem o que não podem nas profissões. “Tem uma liberdade de linguagem que não dá para usar na revista”, salienta Natália. “No marketing do banco, (moda) não é um assunto com o qual convivo todo o tempo”, brinca Iara. “Por isso, todo intervalo que tenho, não deixo de ler minhas revistas e sites”, completa, lembrando que esse prazer também serve como uma fonte de pesquisa para os posts que fazem no Par de Jarras.

 

Ao contrário da dupla, a artista plástica, fotógrafa e ilustradora Camila Gomes criou o Sim, Senhorita (srtasenhorita.com), que hoje tem mais de 4,6 mil seguidores fixos, já pensando em uma fonte de renda. Ela conta que começou a desenhar peças que a mãe transformava em realidade e as amigas gostavam e indicavam. Com isso, surgiu a ideia de montar, há pouco mais de dois anos, uma espécie de vitrine virtual para expor as peças. Daí a se tornar outra referência na blogosfera de moda também foi um pulo. “Criei o blog para vender minhas criações. Mas amigas começaram a falar para fazer também produções pessoais. Depois, comecei a dar dicas de maquiagem, que também gosto muito”, diz. “Tudo o mais personalizado possível. De acordo com a ideia do blog, delicado e dinâmico. Porque a mulher não quer deixar de ser feminina, mas trabalha, tem namorado, filhos”, acrescenta.

 

Camila Gomes, do Sim, Senhorita, que tem mais de 4,6 mil seguidores fixos: “Maquiadores também pedem dicas de onde comprar alguns produtos que indico”

 

 

Apesar de criar o blog para vender suas criações, Camila ainda divide seu tempo com fotografias e com a administração da corretora do pai, que, por incrível que pareça, para ela é uma forma de relaxar. “A parte de criação é muito sofrida”, explica a artista. Mas ela afirma que gostaria de viver da página “se tivesse certeza” de que a sensação dos blogs será duradoura.

 

Essa é uma preocupação que não passa pela cabeça da autora do Depois dos Quinze (depoisdosquinze.com), a estudante Bruna Vieira, de 17 anos, moradora de Leopoldina, na Zona da Mata mineira. Ela começou a escrever em 2008, como forma de desabafar, após o término inesperado de um namoro. “Muitas meninas foram se identificando e, em pouco tempo, tinha 800 seguidores”, conta. Hoje, esses “800” se transformaram em 30,9 mil e o blog já teve mais de 5,6 milhões de visitas – 19,5 mil em apenas um dia acompanhado pela reportagem. A jovem diz que foi “amadurecendo”, conheceu outro rapaz e o tom dos posts começou a mudar. “Já não tinha mais foco em desilusão. Como gosto muito de moda e maquiagem, comecei a falar disso”, diz.

 

Com dicas como o make up da atriz Emma Watson para o lançamento do mais novo filme da série Harry Potter, a página – que hoje tem dez colaboradores fixos – cresceu ainda mais e Bruna recebeu convite de uma editoria. Hoje, seu blog faz parte do site da revista Capricho, da editora Abril, e acabou por influenciar os planos da estudante, que faz curso técnico no Cefet. “Quero fazer jornalismo e mudar para São Paulo, para continuar escrevendo sobre moda. Dá para continuar com o blog e me manter lá”, ressalta a jovem, que tenta convencer a mãe a aceitar a ideia.

 

Apesar da diferença nos perfis dos blogs e das próprias blogueiras, todas atingem públicos dos mais variados estilos, idades e localidades. Camila Gomes, por exemplo, conta que boa parte de suas leitoras, principalmente as que compram as peças expostas na página, são do Rio de Janeiro e de São Paulo. “Algumas são clientes cativas. Quando avisava que havia atualizado, já tinha que separar peças. Maquiadores também pedem dicas de onde comprar alguns produtos que indico”, conta.

 

Já Bruna revela que, apesar de focar seu blog em um público mais jovem, se corresponde com leitoras até de mais de 40 anos. Apesar do nome, afirma que também tem seguidoras de antes dos 15. “Tem leitora de 9 anos.”

 

O sucesso com o público, a linguagem despojada e as dicas como se fossem uma conversa em torno de uma mesa fazem com que alguns seguidores se sintam até “íntimos” das escritoras, mesmo sem nunca ter havido um encontro pessoal. “As pessoas acessam (o blog) como uma forma de amizade. Estava em um hospital e uma menina virou para trás e perguntou se eu era do Par de Jarras. Estava mal de saúde, mas ela queria conversar. E conversamos”, lembra Natália, hoje rindo do episódio.

 

Mas é por causa dessa intimidade que ela e Iara evitam postar detalhes muito pessoais, com o aval dos respectivos namorados. “Quem lê diariamente deve saber até o nome dele (namorado), mas não exponho. Nada da vida muito pessoal”, sentencia Iara. Mas todas concordam que são os leitores e leitoras que as estimulam a continuar. “É o público que dá aval. Às vezes, a gente não se dá valor. Mas outras pessoas mostram que temos, sim”, conclui Cris Guerra.

 

Meio sem saber, Cris Guerra criou um dos blogs de maior sucesso no tema, com mais de 11,5 mil seguidores no Twitter: “Faço escolhas de roupa todo dia e mostro possibilidades”

 

Últimas notícias

Comentários