Enfoque 6

por Kátia Massimo 06/10/2011 11:04

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Geraldo Goulart, Maíra Vieira, Saman Pahlevan, Cláudio Cunha, Leandro Bifano
None (foto: Geraldo Goulart, Maíra Vieira, Saman Pahlevan, Cláudio Cunha, Leandro Bifano)

Ele queria só um doce de leite...

 

Quando foi pedir ao então secretário da Fazenda de Minas da época, Wilson Brumer, apoio para montar uma fábrica de doce de leite na pequena Jeceaba, no Vale das Vertentes, o prefeito Julio Reis estava preocupado em dar impulso à economia local, até então baseada na produção leiteira. O que jamais poderia imaginar era a resposta que receberia do secretário: “Temos uma siderúrgica. Que tal?” A cidade acabou abrigando a fábrica de tubos da multinacional Vallourec & Sumitomo, que consumiu recursos de R$ 5 bilhões e vai gerar 1,6 mil empregos diretos e quase 2 mil indiretos quando estiver operando em plena capacidade. Não é à toa que, cinco anos depois, a história ainda é motivo de piadas com o prefeito. Mas nada capaz de abalar o orgulho que sente ao ver a projeção do município. “E olha que eu pensava em uns 40 ou 50 empregos”, diz Julio Reis. Para se ter uma idéia da importância do investimento, a cerimônia de inauguração, em setembro, foi prestigiada pela presidente Dilma Rousseff, pelo ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, além de autoridades do estado, incluindo o governador Anastasia. Esbanjando sorrisos ao anfitrionar tanta gente de peso, o prefeito avisou: o próximo passo é transformar Jeceaba em Distrito Industrial Municipal. “Já temos muitos outros empreendimentos interessados em vir para cá”, gaba-se Reis.

 

 
 

Ele tem estrela

 

O engenheiro Gabriel Carneiro Mendes nem bem esquentou a cadeira de gerente corporativo da Claro em Minas, e em apenas três meses no cargo e pouco mais de um ano e meio na empresa, vai assumir a diretoria regional da operadora, na vaga deixada por Ricardo César de Oliveira, que tomou posse na diretoria nacional de vendas. Mineiro, Gabriel Mendes ficou por mais de sete anos fora do estado, trabalhando em outras operadoras, e só retornou a Minas em 2009, a convite da Claro. Agora, não perdeu tempo para traçar metas no novo cargo. “Já tenho bem definidos os meus desafios”, diz. Entre eles está alcançar a vice-liderança no segmento de pós-pago, posição hoje ocupada pela Oi, e assim chegar mais perto da Vivo, líder de mercado. Atualmente, a Claro encontra-se em terceiro lugar neste segmento.

 

 

 

Tá buscando mais

 

A mineira Tacom está em momento mais que favorável. A empresa atua há 40 anos na geração de tecnologia para o transporte e meios de pagamento. Ajudou a implantar por aqui os pagamentos eletrônicos de ônibus e metrô, por meio dos cartões magnéticos, já consolidados em BH e outras cidades. Agora, é responsável pelo desenvolvimento dos sistemas para gestão de frota e informações aos usuários de ônibus, que se encontram em fase de teste na capital mineira. Antecipando-se às oportunidades que se abrem na área, a Tacom vem reforçando os investimentos em tecnologia e estrutura nos últimos 2 anos. Está de olho não apenas nos BRTs da capital mineira, mas também em outras demandas de bilhetagem que serão geradas pela Copa de 2014, informa o diretor de mercado, Marco Antônio Rodrigues.

 

 

 

Criou um clima

 

É grande a expectativa na Câmara Municipal de Belo Horizonte em relação ao afastamento de pessoas com base na Lei da Ficha Limpa. Os titulares de cargos de chefia, direção e assessoramento da casa já estão de posse dos formulários para atestar, de próprio punho, que não são ficha suja. A declaração deve ser entregue por todos até o dia 17 de novembro, inclusive a dos contratados por meio de empresas terceirizadas. Assinada em setembro pelo presidente da Câmara, Léo Burguês, a norma é retroativa e veta pessoas condenadas pela prática de ato ilícito em casos específicos de abuso do poder econômico ou político e crimes contra a economia popular, a fé pública, a administração ou patrimônio públicos.

 

 

 

De olho no longa vida

 

A Laticínios Porto Alegre, de Ponte Nova, quer entrar no disputado mercado de leite longa vida e de leite condensado. O primeiro passo foi o investimento de R$ 50 milhões em nova fábrica capaz de processar até 500 mil litros de soro fluido por dia. A nova unidade não só torna a Porto Alegre a maior em processamento de soro do país, como vai permitir ampliar a produção de queijo, manteiga e outros derivados. Já a fabricação de leite ainda não tem data marcada. Vai depender do novo ritmo de vendas, a partir da entrada da marca nas praças do Rio de Janeiro e Espírito Santo. A expectativa do diretor da empresa, João Lucio Barreto, é de que o faturamento alcance R$ 170 milhões, 20% a mais que no ano passado.

 

DEU O QUE FALAR

 

 

 

“É Deus no céu e minha equipe na terra”

Pinduca, deputado estadual (PP-MG), sobre o costume – mal visto pelo TRE – de atender à população carente com suas ambulâncias. Por isso, ele foi pego pela lei da Ficha Limpa e só pôde assumir o cargo em setembro, após vencer batalha judicial para ter reconhecidos os votos
das eleições de 2010.

 

“Quanto mais pobre o circo, mais enfeitados os palhaços.”

Fred Costa, deputado estadual (PHS-MG), que foi barrado em reunião da Assembleia de Minas por estar vestindo jeans, camiseta e tênis. O regimento interno da casa impede que parlamentares entrem no plenário sem paletó e gravata. A regra é “hipócrita”, segundo o deputado.

 

"O mineiro, regra geral, é pouco saliente"

Márcio Reinaldo Moreira, deputado federal (PP-MG), justificando a ausência de políticos mineiros na lista dos parlamentares que vão concorrer ao prêmio Congresso em Foco. A premiação elege os deputados e senadores que melhor representam o cidadão, a partir de indicações feitas por jornalistas que cobrem o Congresso.

 

"É claro que é desleixo"

Eduardo Moreira, ator e fundador do Grupo Galpão, que se feriu no acidente com o bonde no bairro Santa Tereza, no Rio de Janeiro, criticando a administração municipal da cidade. Ele teve de realizar cirurgia de reconstrução da orelha direita.

 

 

 

"Um dos maiores problemas do Brasil é achar que tudo que é popular deve ser evitado"

Ivo Faria, chef do restaurante Vecchio Sogno, criticando a cultura gastronômica brasileira
de desvalorizar os pratos típicos, considerados simplórios.

 

*Colaboraram João Paulo Martins e Rafael Campos

Últimas notícias

Comentários