Vida digital 1

por Heitor Oliveira 22/11/2011 06:01

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Eugênio Gurgel, Maíra Vieira, Divulgação
None (foto: Eugênio Gurgel, Maíra Vieira, Divulgação)

Ele está voltando...

 

Ele fundou e dirigiu a empresa que, por três anos seguidos, foi eleita a melhor do segmento de software no Brasil. Com atuação nacional, a RM Sistemas despertou o interesse de investidores internacionais e acabou vendida ao grupo holandês Totvs, em abril de 2006. Hoje, exatamente cinco anos e meio depois, o empresário Rodrigo Mascarenhas quer voltar ao setor de tecnologia. Foram cinco anos de "férias", nos quais viajou para todos os continentes. "Agora, tenho energia de sobra para fazer algo novo", diz Rodrigo. "E tem de ser no setor de tecnologia, que é o que conheço e sei fazer." Juntamente com três ex-diretores da RM montou a Lalubema, empresa que, de cara, chegará ao mercado com quatro produtos. A menina dos olhos é o Lalubema.com, que se apresenta como o primeiro site de desafios online do Brasil. O endereço está em fase de testes e, segundo Rodrigo, deverá entrar no ar definitivamente daqui a seis meses. Em linhas gerais, propõe-se a distribuir prêmios para internautas vencedores de uma espécie de gincana virtual. Além disso, vem aí um site sobre vinhos e dois games para iPhone e iPad vendidos na Apple Store. Todos chegam ao mercado no próximo ano. A Lalubema não deverá parar por aí. Rodrigo garante que não está procurando dinheiro agora. "Buscamos, na verdade, boas ideias para ajudar a implementar."

 

 

 

Além de 2014

 

O empresário Leonardo Neves admite que o foco do Check-In é a Copa do Mundo. Mas não apenas. O Check-In é o nome do produto que ele e Fernando Juste, seu sócio na JN2, vão lançar no próximo semestre. A ideia é ambiciosa, já que Leonardo reconhece a inspiração em sites como o Booking.com e o Decolar.com. “Vamos focar nosso negócio nas pequenas pousadas, hostels e hotéis”, diz Leonardo. Faz sentido: segundo o Ministério do Turismo, 80% dos cerca de 20 mil estabelecimentos do gênero no país têm menos de 50 acomodações. É para esse público que a Check-In vai trabalhar, através de um sistema que permitirá ao turista ter acesso às informações da pousada, enquanto o dono do estabelecimento ganhará um sistema central que ajudará na comunicação e poupará parte do trabalho burocrático e administrativo.

 

 

 

Dá para crescer mais?

 

Há motivos de sobra para prestar atenção no Galaxy Nexus, smartphone que a Samsung acaba de lançar. A linha Galaxy é a que mais perto chegou até agora do que o mercado chama de iPhone killer (o celular matador de iPhones). Além disso, o Nexus é o primeiro celular a receber a versão 4.0 do Android, o sistema operacional para smartphones e tablets criado pela Google. Mas o que realmente sobressai no brinquedinho da Samsung é o tamanho. A tela tem 4,65 polegadas, ante as 3,5 polegadas de costume dos iPhones de todas as versões. Não é grande demais? Dá para ir muito além disso? A Samsung garante que o novo celular não vai incomodar ou parecer um tablet menos avantajado nos bolsos dos clientes.

 

 

 

Sobre lavadoras e avós

 

Um mês depois da morte de Steve Jobs foi o suficiente para falar da importância do fundador da Apple para o mundo, já sem qualquer pieguismo ou exagero típicos de algumas homenagens póstumas. Jobs tornou a informática popular sem afastar os nerds, e essa é uma de suas grandes contribuições. Na foto acima, você vê em destaque a seção de tecnologia da Fnac no BH Shopping, principal revenda da Apple na cidade. “Há alguns anos, o público de tecnologia era muito limitado”, diz Jailson Medeiros, diretor da loja. “Hoje, vem aqui gente de toda idade, sexo, com interesses os mais diversos.” Alguém duvida da responsabilidade de Steve Jobs nisso?

 

Curtas

 

 

Últimas notícias

Comentários