Retratos da cidade 7

por Simone Dutra 29/11/2011 07:16

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Cláudio Cunha, Junia Garrido, Geraldo Goulart, Eugênio Gurgel, Sylvio Coutinho/Divulgação
None (foto: Cláudio Cunha, Junia Garrido, Geraldo Goulart, Eugênio Gurgel, Sylvio Coutinho/Divulgação)

Belo Horizonte vai fazer 114 anos no dia 12 de dezembro. A capital mineira, com seus milhões de habitantes, cresce e se modifica ano após ano, como uma metrópole que não pode parar. Mas se você olhar aqui e ali, verá que alguns lugares são a cara da capital, endereços especiais de uma cidade que é a síntese de Minas Gerais, reunindo gente de todos os lugares – do estado, do Brasil e do mundo. Escolhemos 10 locais que representam a cidade, pela história e pelas pessoas que fizeram parte deles. É um passeio pelos mais famosos cartões postais de BH, retratos desta cidade redescobertos por seus habitantes e por quem passa por aqui.

 

1. Onde tudo começou

 

Pela Praça da Estação passaram muitos operários que ajudaram a construir a atual capital de Minas. Ao longo dos mais de 110 anos, ela ganhou estátua, fontes iluminadas e se tornou um importante ponto de referência da cidade.

 

 

 

2. Batendo um bolão

 

O Estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão, foi inaugurado em 1965. Ele está em obras desde julho do ano passado, cumprindo à risca o cronograma da reforma prevista para a Copa de 2014. Mas os torcedores fanáticos terão de esperar até junho de 2013, quando ele finalmente deve estar pronto para a Copa das Confederações.

 

 

 

3. A praça do Pirulito

 

Pela Praça Sete de Setembro passam diariamente milhares de cidadãos belo-horizontinos. Seu nome original era Doze de Outubro, mas em comemoração ao centenário da Independência, em 7 de setembro de 1922, recebeu o obelisco, chamado de pirulito, e ganhou o novo nome. Mas ela é mesmo conhecida como Praça Sete.

 

 

 

4. Ligação entre os bairros

 

Um dos símbolos mais antigos da capital de Minas, o Viaduto Santa Tereza impressiona pelas medidas: 390 metros de extensão, 13 metros de largura e 14 metros de altura. Inaugurado em setembro de 1929, foi criado para ligar o centro a tradicionais bairros da região leste, como o Floresta.

 

 

 

5. Visão privilegiada

 

Ponto mais alto da cidade, a belíssima Serra do Curral, que emoldura a capital mineira, encanta qualquer morador e visitante que olha para o horizonte da cidade e vê suas formas, dos mais diferentes lugares de BH. A serra integra o maciço do Espinhaço e é um importante bioma da região metropolitana, com sua vegetação de cerrado e fauna típica de montanha.

 

 

 

6. Praça dos museus

 

A Praça da Liberdade, construída em 1920, conserva um pouco da memória da capital mineira.
O complexo paisagístico e arquitetônico mostra características do estilo que marcou a história de BH. Os antigos casarões, que já abrigaram secretarias de estado – hoje transferidas para a Cidade Administrativa –, estão sendo restaurados e integrados ao Circuito Cultural Praça
da Liberdade.

 

 

 

7. Parque da diversão

 

Patrimônio ambiental mais antigo da cidade e localizado bem no centro da capital mineira, o Parque Municipal Américo Renné Giannetti foi projetado no final do século XIX pelos construtores de BH. Além de seus jardins, lagos e suas árvores centenárias, é lugar de passeio para toda a família, com direito a concertos musicais aos domingos. Por suas alamedas, os bancos oferecem um momento de descanso em meio ao corre-corre da capital.

 

 

 

8. O horizonte mais belo

 

“Que belo horizonte!” A frase foi dita pelo Papa João Paulo II diante da paisagem que avistou, do alto das Mangabeiras, quando esteve em Belo Horizonte, em 1980. Desde então, a praça Israel Pinheiro passou a ser chamada de Praça do Papa. Pela manhã, à tarde ou à noite, é possível ver
a cidade de um ângulo privilegiado e se apaixonar de novo.

 

 

 

9. Lagoa da arte

 

Inaugurada em 1938, a Lagoa da Pampulha abriga um conjunto que se tornou referência de arquitetura moderna e é o cartão postal de BH. O responsável pela maravilha foi o arquiteto Oscar Niemeyer, que, para compor seu entorno, projetou a igreja São Francisco de Assis, o Museu de Arte, a Casa do Baile e o Iate Tênis Clube.

 

 

 

10. O charme do Mercado

 

Seja para comprar um produto especial ou simplesmente para provar um tira-gosto campeão
de audiência, o Mercado Central de Belo Horizonte tem tudo que os mineiros e visitantes de outros lugares querem encontrar lá: de variados tipos de queijos ao tradicional artesanato do Vale do Jequitinhonha.

 

Últimas notícias

Comentários