Enfoque 8

por Kátia Massimo 06/12/2011 07:33

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Leo Araújo, Cláudio Cunha, Divulgação
None (foto: Leo Araújo, Cláudio Cunha, Divulgação)

Procura-se comprador

 

Faz pouco mais de cinco anos que o Grupo Newton Cardoso comprou a fábrica de sucos Goody, instalada em Ubá (MG), grande polo fruticultor. Na época, os dirigentes da empresa chegaram a fazer grandes investimentos em infraestrutura e na área comercial. Mas, agora, desistiram de tocar o negócio e a fábrica está sendo colocada à venda. “Nosso problema é de logística”, explica Newton Cardoso Júnior, que está à frente do grupo. “Como o suco é nosso único produto, o custo de distribuição é alto”. Ele não informa valores nem nomes, mas já estuda algumas propostas. Enquanto isso, a produção de sucos foi drasticamente reduzida. Está sendo mantida em 300 mil litros mensais, mas já foi de 2 milhões de litros. Dono de empresas de siderurgia e agropecuária, o grupo está revendo a posição também em outros negócios. Quer se desfazer ainda da Revista Star, comprada há pouco mais de um ano e meio. Deficitária, a revista teve a circulação suspensa há pouco mais de dois meses.

 

 

 

Preparada para a disputa

 

Eleita presidente do diretório estadual do PPS, a deputada estadual Luzia Ferreira é um dos nomes cotados para se tornar também candidata do partido à prefeitura de Belo Horizonte. Mas isso caso o PPS, que hoje é aliado do prefeito Márcio Lacerda (PSB), decida trilhar caminhos próprios nas eleições municipais de 2012. A decisão final cabe ao diretório do partido em BH, mas a deputada não descarta a possibilidade de um confronto direto com o prefeito nas urnas: “Não estamos dizendo que sim e nem rejeitando a proposta”, diz Luzia. “É uma discussão que está posta dentro do partido”.

 

 

 

Aposta no atacarejo

 

Depois de vender sua participação na rede DMA (controladora dos supermercados Epa, Martplus e Via Brasil) para os sócios Vicente Bretz e Walter Santana, Ronosalto Neves, o Rono, um dos mais agressivos empresários do setor varejista mineiro, partiu para nova aquisição. Comprou  50% da Mart Minas, do empresário Murilo Martins Amaral, por cerca de 40 milhões de reais. Empresa do chamado atacarejo, conceito de empresa atacadista voltada principalmente para pequenos e médios varejistas, a Mart Minas atravessava período de franco crescimento, mas demandava capital que desse sustentação à alavancagem. Além do capital, Rono traz para a companhia seu amplo portfólio de relacionamento com o mercado fornecedor. A expectativa do mercado é que, com a nova sociedade, o Mart Minas alcance posições de destaque no setor. É esperar para ver.

 

 

 

Do forno à geladeira

 

O nome da empresa está totalmente vinculado ao pão de queijo. Mas é apostando também nos outros produtos do seu mix que a Forno de Minas espera aumentar em 50% o faturamento para 2012. A última novidade foi o lançamento do frozen yogurt da marca , resultado de parceria com a Kemps, líder na produção de iogurte nos Estados Unidos. Os investimentos no novo negócio foram de R$ 2 milhões. Se a parceria der certo, o frozen poderá ser produzido aqui em Minas. “Queremos atingir novos consumidores”, diz Hélder Mendonça, presidente da Forno de Minas. Os produtos fora da linha de pão de queijo – como tortas, empadas e waffles – vão responder por 20% do crescimento da empresa estimado para o ano que vem.

 

 

 

A intenção é boa, mas...

 

Depois do veto do prefeito Marcio Lacerda no início do ano por não prever a cobrança de multa, projeto do vereador Paulo César – o Pablito (PSDB) – que pretende acabar com as longas filas que se formam nas lojas de telefonia fixa e celular da capital está de novo em tramitação na Câmara Municipal. Agora, estabelece multa de R$ 2 mil para o descumprimento do prazo máximo de 20 minutos para atendimento em dias normais e 30 minutos em vésperas de datas comemorativas.
A multa será dobrada em caso de reincidência e pode culminar na perda de alvará de funcionamento. A intenção é boa, mas, se aprovada, corre o risco de esbarrar na falta de estrutura para a fiscalização.

 

Deu o que falar

 

 

 

“Se me colocarem sozinho para negociar com a Fifa, é a mesma coisa que me darem uma baioneta da Revolução Francesa para atacar os EUA com suas armas nucleares”

 

Sérgio Barroso, Secretário Extraordinário de Minas Gerais para a Copa do Mundo, salientando a importância de consenso entre os estados e o governo federal sobre a Lei Geral da Copa, a ser negociada com a Fifa.

 

“No momento, nós precisamos mais de bombeiros do que de incendiários”

 

André Quintão, deputado estadual (PT/MG), vice-presidente do partido em Minas, em referência ao racha do PT nas articulações visando as eleições municipais de BH no pleito do ano que vem.

 

“Eu estava descolando a cueca que estava incomodando a virilha”

 

Jadson do Bonsucesso Rodrigues, vereador (PDT), da cidade de Caeté (região metropolitana de Belo Horizonte), tentando explicar foto dele que circula na internet, sugerindo gestos obscenos durante a 1ª Parada GLBT de cidade. Ele é acusado de homofobia.

 

 

 

“Gostei tanto da minha infância que me recuso a sair dela”

 

Maurício de Souza, escritor, 73 anos, durante lançamento do livro comemorativo do cinquentenário de sua obra – MSP-50 –, em Belo Horizonte.
 

Colaboraram João Paulo Martins e Rafael Campos

Últimas notícias

Comentários