Luz, câmera... decoração!

por Guilherme Torres 15/12/2011 10:36

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Graziella B. Mendonça, Gustavo Xavier, Daniel Mansur, Jomar Bragança/Divulgação
None (foto: Graziella B. Mendonça, Gustavo Xavier, Daniel Mansur, Jomar Bragança/Divulgação)

Verdadeiros adornos da decoração, lustres e luminárias enfeitam e arrematam com classe e estilo o visual de qualquer ambiente. O simples ato de iluminar vai muito além quando esses objetos são trabalhados de forma correta, dialogando com as outras peças, seja para compor ou, ao contrário, em estilo oposto, para quebrar com irreverência o desenho padrão e as linhas retas dos móveis e das paredes. Além de criar uma boa iluminação geral, um projeto especial funciona como marco na arquitetura, dando nova forma aos objetos, modificando cores e texturas e ressaltando ou escondendo detalhes do lugar.

 

Os modelos clean estão em alta, mas os pomposos de cristal, de vidro, dourados, prateados, coloridos ou envelhecidos também têm lugar garantido. “Estamos num novo limiar do design mundial, com novos materiais, conceitos, players vindo de outros países, que não são da velha Europa”, diz Ernesto Lolato, da La Lampe. Segundo ele, não há mais regras fixas nos padrões estéticos: “Há um certo vale-tudo e é forte a volta dos produtos anos 1950 e 1960”.

 

Com isso, na hora de escolher o lustre é preciso ter alguns cuidados: “Cada lustre tem formato e função técnica que devem ser levados em conta. Um lustre que ilumina para cima serve para dar uma luz difusa. Não funciona para iluminar uma mesa, por exemplo”, explica Lolato. A luz também tem outra missão que nem todos percebem: “Oferecer aconchego, relaxamento, conforto. A luz que proporciona esta atmosfera é a amarela, que é quente, macia e gostosa, seja em lustres, abajures ou tocheiros”, diz o arquiteto.

 

Para Natália Vasconcelos, da Abatjour de Arte, os lustres sempre tiveram lugar garantido em tudo: “Na hora da escolha, a atenção para o tamanho é fundamental, pois a proporção diminui em até 20% visualmente depois da instalação”, diz a arquiteta.

 

Uma boa pedia é o uso da tecnologia da luz LED. Além de ser uma energia mais eficiente, barata e limpa, o LED dá um ar moderno e charmoso à decoração. Ainda que esse tipo de equipamento custe mais caro, o investimento feito agora se paga em até dois anos, só com economia de energia, como explica Guilherme Rabello, da Revoligth.

 

 
 
 
 
 
 
 

Últimas notícias

Comentários