Léo Burguês de Castro

por Daniele Hostalácio e André Lamounier 21/12/2011 12:36

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Eugênio Gurgel
Vereador Léo Burguês: “Quero ajudar a transformar BH no melhor lugar do Brasil para se viver” (foto: Eugênio Gurgel)
 

 

Até 2010, o vereador Léo Burguês de Castro era um político pouco conhecido e associado a festas e badalações, já que tem origem na atividade de promotor cultural da noite em BH. Por isso, inclusive, o apelido de “Burguês”. Essa história começou a mudar ainda no final de 2010, quando começaram a surgir as articulações para a eleição do novo presidente da Câmara Municipal de Belo Horizonte.

 

A sociedade começou a conhecer, ali, outro Léo: articulado, trabalhador e determinado em seus propósitos. Lançou-se candidato por seu partido, o PSDB. Conseguiu unir, em torno de seu nome, partidos díspares, obteve o apoio do prefeito Marcio Lacerda (PSB) e minou as resistências dos descontentes. Terminou conduzido, em dezembro de 2010, ao comando da Casa, para o biênio 2011/2012.

 

E, assim, 2011 começou anunciando uma nova fase para o político. Vindo da iniciativa privada, tão logo ele assumiu a gestão da Câmara começou a imprimir ali a mesma cartilha adotada nas empresas particulares: só nos oito primeiros meses como presidente, entre outras ações, aumentou em 400% a produção legislativa em relação aos dois anos anteriores; modernizou setores da Câmara; e iniciou um planejamento estratégico para os próximos 15 anos da instituição.

 

Como político, tem arrancado elogios também por ter estabelecido uma gestão suprapartidária, envolvendo todos os vereadores, mesmo os que se opuseram à escolha dele para presidir a Casa. Hoje, é quase unanimidade entre seus pares. No campo dos gastos, também conseguiu fazer diferença. Neste ano, a instituição devolveu para os cofres da Prefeitura de Belo Horizonte a quantia de R$ 48 milhões. É a maior economia já feita em toda a história do legislativo municipal.
Em agosto deste ano, promulgou a lei da Ficha Limpa, outro marco na biografia da Câmara de Vereadores. De sua autoria, o projeto pretende contribuir para a moralização do serviço público. “Um parlamento forte reflete o que a sociedade anseia, e a sociedade não aceita mais corrupção”, afirma Léo Burguês de Castro, que começou sua trajetória política no movimento estudantil e hoje está em seu segundo mandato como vereador.

 

Mas, como bandeira de sua gestão, ele decidiu abraçar a causa que considera o seu maior desafio: ampliar a participação da sociedade no Legislativo Municipal: “Quero trazer a população para mais perto da Câmara, e vice-versa. O cidadão precisa ser mais ouvido pelos vereadores, pois somos nós quem podemos colocar, na mesma mesa, a sociedade e o Poder Executivo, que é quem detém o poder para resolver os problemas da cidade”, avalia.

 

Para isso, as audiências públicas foram eleitas instrumentos-chave e, entre as novidades estabelecidas em 2011, está a Câmara itinerante. “Seremos a primeira Câmara do Brasil a atuar com este instrumento: ônibus modificado, no qual serão realizadas audiências públicas. Iremos até os locais onde a população e os problemas estão”, diz. “Tenho orgulho de falar que sou político, vereador e presidente da Câmara Municipal de BH. Amo esta cidade e quero ajudar a transformá-la no melhor lugar do Brasil para se viver”.

Últimas notícias

Comentários