O ano das reformas

por Vicente Cardoso Jr. 10/01/2012 13:09

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Gustavo Andrade, Sylvio Coutinho
None (foto: Gustavo Andrade, Sylvio Coutinho)

Point de BH em reforma

O trânsito no cruzamento das avenidas Getúlio Vargas e Cristóvão Colombo já não era dos melhores, mas, com as obras de requalificação da praça Diogo de Vasconcelos, a Praça da Savassi, a situação se agravou em 2011. Atendendo à demanda de comerciantes para que a região retomasse os ares dos anos 80 – em que era um dos principais pontos comerciais da capital –, a prefeitura tomou medidas como o alargamento de travessias, novo desenho de piso no cruzamento e colocação de fontes nas quatro pontas centrais da praça.

 

Investimento: R$ 10,4 milhões

Início: março de 2011
Previsão de entrega: março de 2012

 

 

 

 

Ruas demolidas, interdições, barulho e muita poeira formaram uma paisagem recorrente, em 2011, para o morador de Belo Horizonte. Grandes obras em pontos vitais da cidade, como a requalificação da Praça da Savassi e a implantação de BRT (Bus Rapid Transit) nas avenidas Cristiano Machado e Antônio Carlos/Pedro I prometem melhorias para o trânsito e a vida na capital, mas para isso, tem sido preciso conviver com o transtorno gerado pelas intervenções.
De acordo com a diretora de infraestrutura da Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap), Maria Luiza Moncorvo, a ocorrência de grandes obras no ano de 2011 tem a ver com o momento da gestão da prefeitura. “Em geral, no terceiro ano de uma gestão, as equipes têm maior entrosamento e mais projetos já foram aprovados e licitados, o que sem dúvida converge para a execução de mais obras”, afirma.

 

Os investimentos do governo federal em mobilidade urbana para a Copa do Mundo de 2014 constituem outro fator importante para a efervescência de obras na cidade. Belo Horizonte foi a única cidade-sede que aprovou seus projetos e assinou contratos de financiamento com a Caixa Econômica Federal ainda em 2010, antes de essa possibilidade se encerrar naquele ano com o início do período eleitoral. Por isso, em 2011 várias intervenções já estavam em execução. De acordo com o relatório do Ministério do Esporte do mês de setembro, das 49 obras de mobilidade urbana previstas para a Copa em todo o país, apenas nove estavam em execução naquela época, sendo cinco delas em Belo Horizonte.

 

O megaevento que o país receberá em 2014 também levou à reforma dos principais estádios da capital, o Mineirão e o Independência. Por meio da Secretaria de Estado Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa), ambos estão sendo modernizados para atender à demanda do evento e continuar sendo palco do futebol em Minas Gerais. O entorno do Mineirão também terá uma nova aparência após a reforma. “Além da readequação e melhoria do estádio para o público do futebol, também estamos construindo uma área externa que certamente será ponto de recreação e visitação dos moradores da cidade e de turistas”, afirma Sérgio Barroso, secretário de estado da Copa.

 

Já o Independência voltará a abrigar os times mineiros ainda em 2012 e está entre os campos pré-selecionados pela Fifa para receber o treinamento de seleções durante a Copa do Mundo.
Como Belo Horizonte fechou o ano em obras, em 2012 o setor vai continuar a pleno vapor, mantendo-se a tendência de crescimento da construção civil. “Com o mercado aquecido, o poder público precisa monitorar e fiscalizar ainda mais as empresas que conduzem as obras, para assegurar a qualificação da mão de obra e os menores impactos para a população”, afirma Maria Luiza Moncorvo, diretora da Sudecap.

 

 
 

Novamente em obras

 

Após ser totalmente duplicada, obra concluída em 2010, a avenida Antônio Carlos começou a receber novas intervenções em 2011. Em setembro, o pavimento do corredor exclusivo projetado para ônibus passou a ser readequado para receber o sistema de BRT, na linha que contemplará a Antônio Carlos e a avenida Pedro I – que está em processo de duplicação desde fevereiro. As obras na interseção entre as avenidas Pedro I e Vilarinho, também voltadas para a implantação do BRT Antônio Carlos/Pedro I, começaram em setembro.

 

Investimento: R$ 239,3 milhões, nas três etapas
Início: fevereiro de 2011 (duplicação da Pedro I)
Previsão de entrega: março de 2013 (duplicação da Pedro I
e implantação do BRT)
 
 

Gigante e moderno

 

Com o objetivo de ter o Mineirão entre os primeiros estádios a serem entregues para a Copa, no fim de 2012, cumprindo o cronograma da Fifa, as obras entraram em sua terceira e última etapa no final de 2010, quando o campo já havia sido rebaixado em 3,4 metros e a geral e a arquibancada inferior, demolidas. Ao longo de 2011, 1.500 operários trabalharam na fase de reconstrução e modernização do estádio, número que deve chegar a 2 mil em 2012. Com a reforma, o novo Mineirão contará com 64 mil lugares e 2.600 vagas de estacionamento, cerca de 2.100 lugares em camarotes VIP e um restaurante panorâmico. A esplanada do entorno já tem 20% de suas peças instaladas.

 

Investimento: R$ 666,3 milhões (R$ 11,8 milhões investidos pelo governo estadual e R$ 654,5 milhões pelo consórcio Minas Arena)
Início: janeiro de 2010

Previsão de entrega: dezembro de 2012 (jogos a partir de 2013)

 
 

Palco do futebol renovado

 

Com previsão inicial de reabertura para o início de 2011, o estádio Independência sofreu atrasos em sua reforma e só voltará a receber os times da capital em 2012. Em fase de finalização, já foram iniciadas etapas de revestimento, instalação das cadeiras e estacionamento. A montagem das arquibancadas e das coberturas e o plantio do gramado foram concluídos em 2011. Cerca de 500 funcionários estiveram envolvidos na obra do estádio, que terá capacidade para 25 mil torcedores.

 

Investimento: R$ 125 milhões
Início: final de 2009
Previsão de entrega: início de 2012 (jogos a partir
de março)
 
 

Mudanças na Linha Verde

 

A ligação entre a região Nordeste e o centro terá como suporte uma linha de BRT, que atravessará a avenida Cristiano Machado e será integrada ao metrô. O pavimento rígido de concreto já começou a ser implantado nos corredores centrais, em trecho que vai do túnel da Lagoinha até a estação São Gabriel. Ao todo, dez estações de BRT serão instaladas na linha.

 

Investimento: R$ 36,3 milhões
Início: setembro de 2011
Previsão de entrega: março de 2013
 
 

Arrudas coberto

 

O conceito de boulevard se expande na região do ribeirão Arrudas, com a cobertura de aproximadamente 2,8 quilômetros até a avenida Tereza Cristina. O primeiro trecho, na avenida do Contorno entre a Rua dos Carijós e avenida Barbacena, foi inaugurado em setembro. A segunda etapa, que contemplará trecho da avenida Tereza Cristina entre Contorno e rua Extrema, teve início em agosto. Canteiro central, alargamento das calçadas, melhorias de iluminação e sinalização, e construção de ciclovia darão nova vida ao Boulevard.

 

Investimento: R$ 208,8 milhões
Início: junho de 2010

Previsão de entrega: primeiro semestre de 2013

 

Últimas notícias

Comentários