O sexo dos carros

por Daniela Costa 29/02/2012 10:22

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Geraldo Goulart, Emmanuel Pinheiro,
O empresário Carlos Rocha tem seu terceiro Corolla, sucesso de vendas entre os homens (foto: Geraldo Goulart, Emmanuel Pinheiro, )

Ao projetar um carro, os centros de design e estilo das montadoras procuram encontrar soluções que agradem a todos os gostos. É uma tarefa difícil, quase impossível. Nos bastidores dos estúdios de design, os criadores sabem que determinado modelo agradará mais aos homens; outro atende melhor ao gosto feminino; e há também carros para pessoas conservadoras, para quem gosta de modernidade e formas exóticas. Só que, por uma questão mercadológica, as montadoras preferem não assumir e muito menos divulgar as verdadeiras personalidades de seus projetos, com o compreensível propósito de não limitar o perfil dos consumidores a esse ou aquele sexo, a essa ou aquela personalidade.

 

A verdade é que, no final, essas tendências surgem de forma espontânea, pelo próprio comportamento do mercado. Basta analisar o perfil de quem compra o quê para saber a quem cada modelo agrada mais, e assim definir o “sexo” de cada carro. Para esquentar ainda mais a disputa entre os sexos, o público GLS também mostra o seu potencial de compra e se impõe no mercado. Representando nada menos que 18 milhões de consumidores, eles gastam 30% a mais que os héteros, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

 

O público feminino, que segundo a DPaschoal – consultoria especializada em serviços do setor automotivo – é responsável pela decisão de compra de 45% dos automóveis vendidos no Brasil, prioriza a segurança. É o que aponta pesquisa feita pelo Instituto Sophia Mind. Das entrevistadas, 76% deram prioridade à direção hidráulica, 70% à trava elétrica, 61% ao airbag e 48% ao freio ABS. Como acessório fundamental, 57% indicaram a regulagem da altura do banco e do volante.

 

Detalhistas, as mulheres não abrem mão dos porta-trecos e são exigentes quando o assunto é design. Espaço é outro item importante para elas, que querem acomodar bem toda a família. As mulheres são as maiores fãs dos SUVs, exatamente por serem carros altos, com aparência robusta e imponente, o que transmite sensação de segurança. O que elas não sabem é que nem sempre isso é verdade. Exatamente por serem mais altos, os SUVs são mais suscetíveis a capotamentos do que carros sedãs e hatchs, mais colados ao chão.

 

De acordo com o site Web Motors, no topo das preferências femininas está o Citroën C3. Com 37.573 unidades emplacadas no país em 2011, o carro atrai por sua direção leve (elétrica) e oferta de câmbio automático. Foi o carro escolhido pela operadora comercial Isabel Silva. “É um carro compacto, fácil de estacionar e que me passa muita segurança ao dirigir”, diz.

 

O público GLS opta por carros com design moderno e linhas suaves: “Ter estilo é fundamental”, afirma o empresário Robson Fernandes, que tem um Fox
 

 

Na categoria monovolume, o Fiat Idea é o preferido das mulheres. Em sua nova versão, traz a série especial Itália e a inclusão do pacote HSD composto por airbag duplo e freios ABS. O monovolume Honda Fit surge na sequência, e atrai pela flexibilidade de seu espaço interno e baixo consumo. O modelo 2012 foi lançado em cinco versões, todas com airbag duplo e volante com ajuste de altura. O hatch Nissan Tiida também faz parte da lista dos que encantam as mulheres. Já os station wagon, como o Volvo V50, conquistam o público feminino pelo espaço, amplo porta-malas, e por ser a marca considerada como a que produz os carros mais seguros do mundo.

 

Para os homens, os carros são verdadeiros objetos de desejo. Diferentemente das mulheres, eles são atraídos principalmente pela potência do motor. Pesquisa feita pela CNW Marketing Research nos Estados Unidos mostra que outro quesito fundamental para o público masculino na hora da compra é o status que o veículo lhes proporciona. Não é à toa que entre os preferidos dos norte-americanos estão o Maybach 57, o Hummer H1, o Mercedes-Benz Classe GL, o Rolls-Royce Phantom e a Ferrari F430.

 

No Brasil, não há pesquisa que mostre quais os carros eles preferem, mas segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), alguns modelos se destacam como de preferência masculina. O recém-lançado Chevrolet Cruze, que chegou para substituir o Vectra, está nessa lista. De outubro a dezembro, o modelo da GM emplacou 9.418 unidades, o que o coloca em segundo lugar na disputa mensal, atrás apenas do Toyota Corolla. É um típico representante da linha de carros sedã conservadores, a preferência de homens maduros, pais de família, apreciadores de linhas clássicas.

 

O exótico e futurista Hyundai Veloster tem feito sucesso entre os jovens. É um carro que pretende ser um hatch esportivo (apenas pretende) e atrai consumidores do sexo masculino, mais jovens, com desejo de se sobressair. O hatch de três portas coreano emplacou 3.956 unidades nos três meses que se seguiram a seu lançamento, em outubro último.

 

O SUV Renault Duster emplacou 9.388 unidades de outubro a dezembro e tirou a longa liderança mensal do Ford EcoSport. Fica a dúvida se essa preferência é mesmo masculina, já que é notório o fato de que SUVs são preferidos pelas mulheres, mais do que pelos homens. Mas o grande campeão de vendas foi mesmo o Toyota Corolla, esse sim um modelo tipicamente masculino conservador. Esse sedã japonês foi líder absoluto em vendas entre os carros de sua categoria, com 53.417 unidades emplacadas em 2011. Em uma das concessionárias da Toyota em BH, a Osaka Veículos, o modelo bateu recordes. “Em oito meses de lançamento vendemos 700 unidades, sendo 60% delas para homens”, diz a gerente geral Nanci Marchesi.

 

Um dos veículos mais cobiçados pelas mulheres, o C3, conquistou a operadora Isabel Silva: “É o carro ideal para mim, me sinto muito segura com ele”
 

 

Segundo Rinaldo Penna, consultor de vendas da revendedora multimarcas Autop Veículos, sedãs médios como o Corolla e utilitários esportivos como o Pajero Dakar são muito procurados por homens. O empresário Carlos Antônio Rocha é um deles, e já está em seu terceiro Corolla. “É um carro econômico, confortável, e ainda tem ótima relação custo benefício”, afirma.

 

O público GLS também tem suas preferências. Para esses consumidores, o design de um carro é o mais importante. Apreciam linhas suaves, modernas, sem exageros exóticos. “Tenho um Fox da Volkswagen, porque além de me atender muito bem, é um carro estiloso e imponente”, afirma o empresário Robson Fernandes dos Santos. Com 121.588 unidades emplacadas em 2011, o Fox entra na lista dos carros mais vendidos no Brasil. Mas, como não poderia deixar de ser, os franceses são os preferidos do público gay. Um deles é o recém-lançado Peugeot RCZ, um esportivo de dois lugares e linhas exclusivas e suaves. Quem aponta essa preferência é o blog norte- americano especializado em automóveis “gays” – gaywheels.com.

 

O cupê também foi eleito como o carro do ano pelo prêmio Carro Gay do Ano Europeu, realizado anualmente na França. Na sequência das preferências, o eleito foi o compacto Fiat 500, campeão em 2010. O preferido pelas mulheres no Brasil, Citroën C3, também é apontado pelo portal da revista G Magazine como um dos mais requisitados pelo público GLS no Brasil. O hatch VW Golf GTI também consta na lista dos mais desejados pelo consumidor gay e deve chegar ao mercado brasileiro repaginado. Outro alemão nessa lista é o compacto premium Audi A1.

 

 
 
 

Últimas notícias

Comentários