Demorou, mas chegou

por Fábio Doyle 05/04/2012 09:07

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
Amarok em três versões: primeira picape com câmbio automático de sua classe a contar com 8 marchas (foto: Divulgação)

Os apreciadores de picapes fizeram coro reclamando a falta da versão com câmbio automático para a VW Amarok, quando foi lançada em abril de 2010. O pedido foi finalmente atendido. A partir deste mês, a Amarok já pode ser comprada com transmissão automática, com nada menos que oito marchas. É a primeira picape com câmbio automático de sua classe a contar com tantas marchas. Para quem não sabe, o número de marchas é proporcional à eficiência, à precisão e à suavidade ao rodar do veículo.

 

A oitava marcha na Amarok foi configurada como overdrive, para operar com o motor em rotação reduzida sempre que as condições de terreno e aceleração permitirem, economizando combustível. Já a primeira marcha foi calculada para esforços acima do normal, como no uso off-road, para arrancar com carga em subidas íngremes ou quando o veículo é usado para reboque.

 

Como na versão manual, a Amarok com transmissão automática de oito marchas tem tração integral (4Motion) automática. Ou seja, dispensa a necessidade de engrenagens de redução e intervenção humana. A utilização do motor em baixa rotação contribui para reduzir o ruído e as vibrações dentro da cabine, elevando o conforto interno, que a VW garante ter o mesmo nível de um automóvel de luxo.

 

A chegada da nova transmissão automática coincide com a estreia do novo motor 2 litros biturbo TDI, com 180 cv de potência. Com torque máximo de 42,8 kgfm, ele garante excelente desempenho e rodagem suave à picape, mesmo quando usada para rebocar um trailer ou com carga pesada.

 

A Amarok com os motores L6 deve ser abastecida somente com diesel do tipo S-50, que passou a ser vendido no Brasil desde janeiro deste ano. O Diesel S-50 passou de 500 para 50 partes por milhão (ppm) de enxofre e é adequado para as novas tecnologias de controle de emissões dos novos motores a diesel, possibilitando uma redução significativa da emissão de material particulado.

 

A nova transmissão automática é exclusividade da versão Highline, topo de linha da Amarok, que chega com preço sugerido de R$ 135.990. Essa versão conta com apenas três itens opcionais: o GPS sai por R$ 2.500; a roda ar 19, por R$ 1.900; e o sistema ESP de controle de estabilidade, por R$ 1.500.

 

Agora, a gama de oferta da picape VW foi ampliada para um total de nove versões – a de entrada, equipada com motor diesel com uma turbina e 122 cv, passa a ser chamada de Amarok S, sendo oferecida com cabine simples ou dupla, com tração 4x2 e 4x4 selecionável com reduzida. A versão SE, anteriormente com venda restrita a frotistas, agora é disponibilizada também para compradores individuais. A Amarok SE, que tem tração 4x4 selecionável com reduzida, também recebe o novo motor com 180 cv. Módulo elétrico e alarme keyless são opcionais.

 

Todas as versões da Amarok trazem de série airbags frontais e freios ABS. O preço da nova versão top da Amarok chega R$ 6 mil mais barato que sua principal concorrente, a Toyota Hilux SRV A/T Top, que custa R$ 141.920. A japonesa traz o sistema de controle de estabilidade (VSC) de série, que, na Amarok, é opcional. A roda da Hilux é de 17 polegadas, o GPS não é oferecido nem como opcional e o câmbio automático da Toyota é de apenas quatro velocidades.

Últimas notícias

Comentários