Safári em casa

por Guilherme Torres 09/04/2012 12:25

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Jomar Bragança/divulgação, Maíra Vieira, MCA Estúdio/divulgação, Divulgação
None (foto: Jomar Bragança/divulgação, Maíra Vieira, MCA Estúdio/divulgação, Divulgação)

VERMELHO FERRARI

 

Neste apartamento, o arquiteto Guilherme Moretzsohn sua uma escultura no formato de anta (foto). A obra do artista goiano Siron Franco, que tem pintura automobilística, lembrando uma Ferrari, é uma peça reproduzida em série e inspirou a cor vermelha para as paredes do living divertido.

 

 

Entra estação, sai estação, e uma tendência na moda é certa: o uso das estampas de peles de animais. A vedete da estação gelada, que também não sai de cena no verão, ganhou os lares – agora, para decorar com elegância durante o ano todo. Com inspiração africana, o animal print foi parar nos sofás, poltronas, tapetes, quadros, cortinas, luminárias, e até em paredes inteiras e como revestimento texturizado em móveis e objetos.

 

Tudo compõe com perfeição ambientes dos mais variados. As linhas zebradas, de onça, girafa, cobra, crocodilo ou vaca são mais usuais em suas tonalidades naturais, mas aceitam bem outros tons mais ousados. Outra opção que mantém a boa atmosfera dos animais e está em alta são os adornos em forma de bichos. Em tamanhos reduzidos e até reais, eles quebram com alegria o clima pesado, remetendo à natureza. “O animal print está em alta, mas pede personalidade. Ele permite quase tudo, mas não gosto de misturar estampas diferentes do mesmo animal. Porém, se bem usado, misturar animais pode até proporcionar um charme. Estampa animal com motivos étnicos, tons terrosos e de cinza sempre caem bem”, diz a arquiteta Flávia Soares.

 

Sobre o uso de adornos em forma de animais, o arquiteto Turíbio Santos acredita que é uma tendência, mas o uso já faz parte do gosto pessoal há algum tempo. “As peças em forma de bicho geralmente nos fazem sorrir, e por isso gosto delas e sempre uso. Quer algo mais gostoso de um ambiente que o faça sorrir?” Sobre o cuidado em usar adornos em tamanho real, ele explica que “tudo tem o seu lugar certo, é só saber usar”. Para Santos, o uso é uma questão de proporção e de não tentar colocar algo pequeno ou grande demais para o espaço que se tem disponível. É a peça certa para o lugar certo. O tamanho está relacionado com a importância que a pessoa quer dar à peça em forma de animal”.

 

A arquiteta Ana Carolina Matos tem uma queda pelos animais na decoração e quase sempre usa esculturas desenvolvidas por artistas talentosos. “A qualidade e a leveza na reprodução de animais como panteras, hipopótamos, rinocerontes e outros contrapõem selvageria x leveza x ambiente doméstico. Essas esculturas aproximam o homem à natureza desses animais a princípio selvagens e intocáveis”.

 

Esse estilo ainda traz para o ambiente sensibilidade e humanismo, acredita a designer de interiores Beth Nejm. “Sempre que posso, introduzo a natureza na decoração das casas; serve para nos aconchegar e deixa a decoração mais iluminada. Assim como as plantas vivas, os animais, ainda que reproduzidos em fotos ou imagens, ajudam a harmonizar”.
 

CONTANDO CARNEIRINHOS

 

Na Parrilla Urbana, a designer de interiores Beth Nejm usou, para decorar o lounge, diversos carneiros em lã e madeira (foto), comprados no sul do Brasil.
Ao fundo, o sofá de couro ganhou charmosas almofadas de couro de vaca. “Deu um charme especial para a decoração; além disso, as carnes de cordeiro são nobres e muito apreciadas”, diz Beth.

 

BEM SERVIDO

 

O simpático porco em tamanho real ganhou a função de mesa de apoio (foto) nesta sala descontraída. O Pig Table, que ficou mais divertido com os pares de meias coloridas, é  feito em fibra de vidro e da marca Moooi. “As peças em formas de bicho geralmente nos fazem sorrir e por isso gosto delas”, diz o arquiteto Turíbio Santos.

 

ALÉM DA MITOLOGIA

 

A cabeça de unicórnio, do artista espanhol Jaime Hayon, é uma boa pedida no lugar de um quadro. Chama a atenção e desperta o olhar pra o ambiente deste hall (foto). No lugar do tradicional chifre, a peça traz um vaso para colocar flores. É encontrado na cor branca ou marrom.
O projeto é da Santos & Santos Arquitetura.

 

TOQUE LÚDICO

 

O projeto para este quarto de criança (foto), da arquiteta Christine Boeger, priorizou uma decoração prática e fluida. Os adesivos de animais dão um toque lúdico e, ao mesmo tempo, conectado ao universo de interesses do jovem cliente.

 

CLÁSSICO E POLÊMICO

 

Tapetes zebrados ou com outras estampas, recortados no formato do corpo do animal, já causaram muitas polêmicas levantadas pelos defensores dos animais. Mesmo assim, eles seguem sendo vedetes do animal print. Neste projeto, a arquiteta Flávia Soares usou tons terrosos, que destacam o tapete em couro de vaca da intimista suíte de casal (foto).


Últimas notícias

Comentários