O mais antigo programa do mundo

por João Paulo Martins 18/05/2012 13:24

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Eugênio Gurgel
A apresentadora Tina Gonçalves, acompanhada do colega Cristiano Batista (foto: Eugênio Gurgel)

Minas é um estado que valoriza as tradições. Não é à toa que há 75 anos, ininterruptamente, ao cair da tarde, as ondas da rádio AM, frequência 880, trazem o som da sanfona de Rubens Diniz, interpretando uma rancheira e apresentando o programa A Hora do Fazendeiro, da Rádio Inconfidência de Belo Horizonte. São tantos anos no ar que o reconhecimento pode ser visto nas páginas do Guinness Book de recordes, como o programa de rádio que está há mais tempo sendo transmitido no mundo.

 

À frente do programa está a dupla Tina Gonçalves, que o apresenta há 20 anos, e Cristiano Batista, que substituiu o radialista José Penido e está no ar há cinco anos. “Os ouvintes ligam, mandam e-mails e presentes de todas as espécies. Já recebi de queijo a tatu, e uma vez ganhei até um cavalo”, conta a apresentadora Tina. Ela diz ainda que já recebeu até cartas com pedidos de casamento: “Alguns acham que eu sou loira, ou mesmo mais velha do que aparento, pelo tempo em que estou à frente do programa”. O sucesso de Tina vem desde a década de 1970, quando fazia shows por todo o estado, e trazia para a Inconfidência artistas como Trio Parada Dura, Mangabinha, Gino e Geno, e Cascatinha e Inhana.

 

O radialista Cristiano Pereira, mesmo dizendo que “pegou carona” ao apresentar o A Hora do Fazendeiro, se sente orgulhoso de fazer parte dessa história: “Eu me arrisco a dizer que é o programa mais importante da rádio, uma referência”. A parceria com Tina Gonçalves é tão séria que ela foi madrinha de casamento do colega. “Carinhosamente, a chamamos de vovó”, diz Cristiano.

 

Marcada por tradicionais programas de auditório, sob comando de ilustres radialistas, como Aldair Pinto, a Inconfidência estreou A Hora do Fazendeiro em setembro de 1936, no mesmo ano de sua fundação. A iniciativa de se criar um programa dedicado ao homem do campo foi do então secretário de Estado da Agricultura, Israel Pinheiro, e do governador de Minas Gerais, Benedito Valadares. Gerações se passaram e, hoje, netos e bisnetos dos ouvintes, especialmente no interior, ainda se baseiam no programa para seguir uma carreira profissional na vida, e esta acaba sendo, claro, de medicina veterinária.

 

Conseguir se manter no ar por tanto tempo não é tarefa fácil, mas para Fábio Martins, professor do curso de comunicação social da UFMG, o programa ainda mantém uma audiência fiel no interior e não sofre concorrência das novas mídias: “O rádio não concorre com a internet. Ao contrário, ela ampliou sua área de abrangência e atuação”.

Últimas notícias

Comentários