Famílias em campanha

por Bertha Maakaroun 08/10/2012 10:46

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marcus Desimoni/Divulgação, Nereu Jr./Divulgação, Felipe Caixeta/Divulgação, Marcos Michelin/EM, Osvaldo Afonso/Divulgação
None (foto: Marcus Desimoni/Divulgação, Nereu Jr./Divulgação, Felipe Caixeta/Divulgação, Marcos Michelin/EM, Osvaldo Afonso/Divulgação)

Por trás das estruturas de campanha, as famílias dos candidatos à Prefeitura de Belo Horizonte trabalharam unidas. Filhos pediram votos. Netos deram alento.
Já as mulheres, além de irem para as ruas, ainda se preocuparam em transformar as casas em “ilhas” de refúgio para seus maridos.

 

De corpo e alma

 

“O meu trabalho foi dividido em duas frentes. Uma, manter a família aconchegada. Na outra, participar de eventos de campanha e com formadores de opinião”, explica a psicóloga Regina Lacerda (foto), 62 anos, casada há 38 com o prefeito Marcio Lacerda (PSB), que concorreu à reeleição. Ao mesmo tempo que o filho Gabriel de Lacerda, sócio- diretor da produtora Gullane Filmes, sediada em São Paulo, se licenciou do trabalho para acompanhar a produção da propaganda política da campanha, Tiago de Lacerda acompanhou o pai em todos os eventos e participou das reuniões de política estratégica. Terceira filha e mãe de gêmeos, a advogada Juliana de Lacerda não perdeu as reuniões de voluntários e as atividades do comitê na hora do almoço e no fim de semana.

 

Voto a voto

 

Casada há 33 anos com Patrus Ananias (PT), candidato à Prefeitura de Belo Horizonte, a professora universitária Vera Victer (foto), 58 anos, buscou voto por voto em todas as atividades de campanha. Desde a mobilização de professores, de movimentos sociais e de formadores de opinião à panfletagem e aos bandeiraços, ela estava em todas. “Estive nas ruas, ouvindo e colhendo sugestões. Fiz de tudo e mais um pouco, porque acredito na proposta de Patrus para uma BH melhor”, diz Vera. O filho Pedro, 35 anos, candidato a vereador pelo PT, dividiu -se entre a sua própria campanha e a do pai. O irmão Marcos, 37 anos, analista de sistemas, foi voluntário nas horas de almoço e nos fins de semana. Os filhos dos filhos foram junto.

 

Eleição consciente

 

 
 

Depois de incorporada pela Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a campanha Voto Consciente ganhou a mídia nacional. Produzida pelo Núcleo de Estudos Sociopolíticos (Nesp) da PUC Minas e pela Arquidiocese de Belo Horizonte, foi coordenada pelo sociólogo Robson Sávio Reis Souza (foto, à esq.). Foram vários vídeos, spots para rádios e textos com orientações para o voto limpo. “A CNBB faz valer a tradição de sempre dar sua contribuição nas campanhas eleitorais, com orientações aos seus fiéis e a todos os cidadãos, firmadas na ética e na cidadania à luz do Evangelho”, diz Dom Joaquim Mol Guimarães (foto, à dir.), bispo auxiliar de Belo Horizonte e reitor da PUC Minas.

 

Queda de braço

 

Quatro candidaturas postas disputam a preferência no colégio eleitoral de mil promotores e procuradores de justiça em atividade no estado para comandar a Procuradoria Geral de Justiça de Minas Gerais. O grupo político no comando do Ministério Público de Minas Gerais há oito anos, nesta eleição, sai dividido: lançaram-se Carlos André Mariani Bittencourt e Rogério Filippetto de Oliveira. O primeiro leva o apoio formal do procurador geral de Justiça, Alceu Torres Marques, e do ex-procurador geral Jarbas Soares. Com o respaldo do secretário de Estado de Defesa Social, Rômulo Ferraz, e do presidente da Associação Mineira do Ministério Público, Nedens Ulisses Freire Vieira, disputa Antônio Sérgio Tonet. A quarta candidatura posta é a da procuradora de Justiça Gisela Potério Santos Saldanha. A eleição será em 5 e 6 de novembro.

 

Vistos à vista

 

 
 

Vença Barack Obama ou o republicano Mitt Rommney, a política de atração de turistas brasileiros se manterá e, no médio prazo, converge para o fim da exigência do visto. Quem garante é o embaixador dos Estados Unidos Thomas Shannon, que esteve em sua primeira visita oficial a Belo Horizonte, onde, até dezembro do ano que vem, os Estados Unidos instalarão um consulado. “Cerca de um milhão de brasileiros gastaram US$ 7 bilhões no ano passado, o que é importante para a nossa economia. Os dois partidos e os dois candidatos favorecem isso”, considerou Shannon. O brasileiro gasta em média US$ 5 mil por pessoa. Ao lado de Merry Miller (foto), cônsul para Minas, Shannon visitou o Centro de Atendimento às Solicitações de Visto (Casv), no bairro Santa Efigênia. Em funcionamento desde 7 de maio, o Casv já recebeu 20 mil solicitações. A movimentação já representa 8% do número total de solicitações em todo o país. No momento, Merry Miller, que se mudou do Rio para BH, e o staff da embaixada dos EUA procuram um imóvel para sediar o consulado que seja de fácil acesso e que atenda aos requisitos de segurança – que não são poucos.

 

O príncipe herdeiro da Dinamarca, Frederik André Henrik Christian, e a princesa Mary Elizabeth estiveram em Minas, para a reinauguração da Gruta da Lapinha. Em Lagoa Santa, foram homenageados com um almoço pelo vice-governador, Alberto Pinto Coelho, e condecorados com a Medalha Peter Lund. O casal real também jantou no Palácio da Liberdade com o governador Anastasia. Na foto, a princesa Mary Elizabeth e Célia Pinto Coelho, em Lagoa Santa 
 

Últimas notícias

Comentários