A cor do poder

por Guilherme Torres 09/10/2012 13:01

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Jomar Bragança/Divulgação, Henry Yu/Divulgação, Daniel Mansur/Divulgação, Gustavo Xavier/Divulgação, Odilon Araújo/Divulgação
O arquiteto e designer Cioli Stancioli projetou uma sala de estar inspirada no estilo art déco. (foto: Jomar Bragança/Divulgação, Henry Yu/Divulgação, Daniel Mansur/Divulgação, Gustavo Xavier/Divulgação, Odilon Araújo/Divulgação)

Associada na cultura ocidental à morte, ao mal, ao luto e a outras conotações negativas, a cor preta usada no interior das casas já foi muito evitada e também sinônimo de sisudez. Hoje, “a mistura de todas as cores” é uma vedete e remete a requinte e ousadia. Porém, para quem ainda tem dúvidas se vai ou não aprovar o resultado de uma mudança radical, a ideia é apostar em bases claras, como o branco, ou coloridas, e compor com objetos, móveis e papéis de parede na cor preta. A arquiteta Camile Guedes explica que o preto pode ser usado em qualquer ambiente, mas com algumas ressalvas: “Para os locais muito pequenos, a cor pode diminuir mais o espaço. Também não aconselho o uso excessivo em ambientes externos; somente em detalhes ou em mobiliários”, diz. Segundo ela, o preto é também uma cor nobre, que traz sofisticação e luxo: “Para as mulheres representa o glamour; para os homens, o tom neutro, sendo usado com mais sobriedade”.

 

A procura constante pela cor fez com que o mercado desenvolvesse inúmeras nuances e acabamentos para paredes, pisos e móveis. “Esta gama de materiais disponíveis na cor possibilita que o seu uso chegue até as salas de estar, homes, salas de banho, cozinhas, bibliotecas, áreas de serviço, quartos, áreas de relaxamento e até a ambientes comerciais dos mais diversos”, diz o arquiteto Cioli Cássius Stancioli, acrescentando que o preto projeta e destaca com perfeição as peças utilizadas na decoração “e, ao contrário do que muita gente pensa, pode ampliar ambientes, dando a impressão de profundidade”.

 

Outra vantagem do preto é que a cor combina facilmente com diversos materiais, como a madeira em seus vários tons, fibras naturais, espelhos, metais e vidro. A arquiteta Luciana Savassi acredita que é cor básica e, como o “pretinho básico” no armário, nunca sai de moda. “Não considero que seja uma cor feminina ou masculina. Usada com bom senso, não ‘carrega’ o ambiente ou imprime tristeza. A cor é ótimo fundo, assim como o branco, para obras de arte e adornos, realçando tudo que está sobreposto a ela.”

 

Em algumas culturas o preto significa a cor do elemento água; representa sabedoria, profundidade intelectual, despertar de insights e conexão espiritual. “Um detalhe preto pode ser um charme até mesmo na decoração de quarto de bebê. Porém, é preciso cuidado no uso da cor onde houver constante incidência de sol, porque as cores escuras absorvem mais calor e podem criar uma ‘estufa’ no lugar”, diz a arquiteta Izabela Dinelli.

 

Estilo suntuoso

Com inspiração na mulher sofisticada, a arquiteta e designer Camile Guedes criou amplo quarto de vestir feminino em 19,40 m², aliando glamour e praticidade. O ambiente foge do lugar-comum, pois é predominantemente na cor preta do carpete aos armários, além de pitadas de dourado. Destaque para o lustre negro, com 30 cúpulas também negras e cristais austríacos. O armário do closet é em laca preta brilhante, iluminado internamente por lâmpadas de LED. No armário, a porta espelhada esconde uma TV que só é vista se estiver ligada. A poltrona suntuosa clássica arremata.

 
 

Jantar contemporâneo

A arte de receber está no projeto dos arquitetos Cristina Morethson e Ângelo Coelho. Em um espaço de 60 m², eles projetaram uma cozinha integrada à sala de jantar. O preto foi a cor escolhida para dar vida ao elemento central do projeto: a mesa em laca preta com 4 m de comprimento. Ela chama a atenção e ganhou mais pompa com o contraste proporcionado pelas cadeiras claras e pelo suntuoso lustre em cristal âmbar de 3 m. Partes do teto e das paredes laterais também ganharam cor preta, que dialoga muito bem com brilho, tons de bronze, ouro, branco e grafite. A cristaleira tem as portas em laca preta.

 
 

Refúgio dela

O famoso “pretinho básico” não é sucesso só no armário das mulheres. Neste projeto, espaço dedicado à mulher moderna, itens em preto remetem ao relaxamento. “O uso de contraste de tons está em alta na decoração. Nada como deixar tudo clarinho e compor um adorno, tapete ou mobiliário preto e, sem excessos, ele não vai se tornar pesado ou sóbrio.” A picada da cor ficou para a charmosa poltrona, cortinas, mesinhas de apoio e futon (cama de relaxar), revestida em seda preta. O destaque também em preto está nos dois biombos da personagem Valentina, criada pelo cartunista Guido Crepax. O projeto é da arquiteta Izabela Dinelli.

 
 

A serenidade do preto

Seguindo o conceito iniciado com os lofts nova-iorquinos, o arquiteto Júnior Piacesi criou este home em espaço que abriga um quarto e um escritório. Em ambos, todos os móveis são da cor preta, imprimindo masculinidade e discrição com modernidade. Eles também são reconfigurados, fazendo com que a mesma peça possa exercer mais de uma função. “O preto cria certa sobriedade no espaço, e acredito que referencia um espaço masculino e dialoga bem com o cinza, com o branco. É clássico e básico”, diz o arquiteto.

 
 

Até na cozinha

A arquiteta Luciana Savassi projetou, em 64 m², um ambiente com espaços multifuncionais: estar com home theater, cozinha gourmet integrada, módulo de vinhos e adega, área de serviço, quarto, closet e banheiro com minijardim. O preto visto em toda a bancada da cozinha e em grande painel com nichos laranja teve referência na moda, assim como as peças de design para a decoração, como os adornos e a madeira com aspecto rústico. “Quando o ambiente tem vários espaços ligados entre si, um modo de conectá-los é a repetição de cores e padrões. O preto foi usado com essa função”, explica Luciana.

 

Últimas notícias

Comentários