Contagem regressiva

por Rafael Campos - Revista do Correio 07/11/2012 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Leo Araújo
O novo tapete verde começou a ser semeado na segunda quinzena de outubro e deve aparecer em breve (foto: Leo Araújo)

Bandeirinha, apenas a que está nas mãos de Osvaldo Zeferino Rodrigues, de 57 anos. O simpático e orgulhoso sinaleiro que trabalha nas obras do Mineirão revela que vai sentir saudades quando o dia 21 de dezembro chegar. “Volto para a Bahia, mas vou sentir falta disso daqui”, afirma o morador da pequena Itagimirim. A data vai marcar o fim das obras do Estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão, que será um dos palcos da Copa do Mundo de 2014, recebendo seis partidas, entre elas uma das semifinais, além de mais três jogos pela Copa das Confederações em junho do próximo ano. Em obras há dois anos e 10 meses, o estádio deve reabrir os portões para a torcida em 20 de janeiro (domingo) de 2013, quando provavelmente terá início o Campeonato Mineiro. No total foram desembolsados R$ 695 milhões, sendo R$ 400 milhões de financiamento federal.

 

 
 

Aos poucos, a nova cara do Mineirão vai tomando forma. Mas “aos poucos” talvez não seja a melhor maneira de explicitar o andamento dos trabalhos dos 2.900 operários. A obra – a mais adiantada entre as cidades-sede – demonstra que o palco máximo do futebol mineiro está ganhando de maneira rápida ares semelhantes aos mais modernos estádios do mundo. E o melhor, vai ficar pronto dentro do prazo. Segundo a Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa), 60% das cadeiras nas arquibancadas já foram instaladas, os banheiros e os bares estão recebendo acabamentos, a exemplo das estruturas das catracas e dos bancos de reserva. A estrutura metálica superior – com membrana acústica e autolimpante – está sendo finalizada e aumentou em 26 metros a cobertura original do estádio. A medida vai possibilitar maior proteção até os assentos mais próximos do gramado.

 

Conforto para a torcida: mais da metade das cadeiras já foi instalada e uma das novidades será a velha Geral, que também receberá assentos
 
 

Outra etapa importante da reforma é a esplanada, que já pode ser vista no entorno do estádio. E falta pouco também para ser finalizada a passarela que ligará o Mineirão e o Mineirinho (que será usado como espaço de apoio durante a Copa), restando apenas o pedaço que vai atravessar a avenida Antônio Abraão Caram.

 

O gramado começou a ser semeado durante a visita do secretário-geral da Fifa, órgão máximo do futebol, Jérôme Valcke, em 16 de outubro. Ricardo Barra, diretor-presidente da Minas Arena, empresa responsável pelas obras e pela operação do estádio nos próximos 25 anos, explica o tipo de grama escolhido para o Mineirão: “Optamos pelo tipo Bermuda Celebration porque é a mais resistente, com maior capacidade de recuperação, tem pouca incidência de pragas e de doenças, resiste bem a herbicidas quando necessária a aplicação. Responde bem aos fertilizantes, adquire uma cor verde intensa que deixa o campo mais bonito e, sobretudo, porque é a mais indicada para o clima de Minas”, diz. Estão sendo usadas 60 mudas por metro quadrado, ou seja, serão 540 mil mudas para cobrir o campo. O gramado poderá ser utilizado em torno de 60 a 90 dias, segundo a Secopa. Para Severiano Braga, gerente de operações da empresa, o plantio do gramado será beneficiado pela época de chuva que se aproxima. “Teremos uma irrigação natural, além da maneira de plantar que acelera a maturação”, diz.

 

A cobertura original foi expandida em 26 metros: a membrana acústica vai proteger todos os torcedores instalados nas cadeiras
 
 

Uma das vantagens para os torcedores será a acomodação, já que os famosos degraus, principalmente da tradicional geral, deram adeus e foram substituídos também por assentos. Os abrigos dos bancos de reservas já estão prontos e é possível notar que os jogadores terão mais conforto e espaço.

 

Para Jérôme Valcke, o andamento das obras do estádio da Pampulha é um exemplo a ser seguido em todas as cidades-sede: “É tão bom ver o Mineirão quase pronto. É um recado que queria dar para outros estádios. Posso dizer que poucos estarão prontos no prazo. Estou muito impressionado e o Brasil poderá jogar as oitavas e semifinal em Belo Horizonte. O Mineirão é muito importante para o país e a Fifa”.

 

O sinaleiro Osvaldo Zeferino Rodrigues e sua bandeirinha: “Vou sentir saudades quando as obras terminarem”
 
 

Com as obras a todo vapor, a torcida mineira fica na expectativa de ver a bola rolando no novo tapete verde. Segundo o governador Antonio Anastasia, que é atleticano, o estádio poderá receber jogos da Copa Libertadores da América, competição que, dos times mineiros, apenas o Atlético tem chances de participar. “Minas Gerais está cumprindo com todos os compromissos assumidos e não tem poupado esforços para transformar os eventos programados em marco para o futebol mundial”, diz.

 

Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa: “É tão bom ver o Mineirão quase pronto. O Mineirão é muito importante para o país e a Fifa”
 
 

O primeiro trimestre do ano que vem será de festa para o estádio, quando várias atividades culturais serão realizadas para marcar a reinauguração. A seleção brasileira também deve fazer um amistoso, como prometido pelo presidente da Confederação Brasileira de Futebol, José Maria Marin. A partida poderá ser realizada em 22 ou 26 de março, datas em aberto no calendário de amistosos da seleção. O possível confronto vai fazer parte de uma série de jogos que a Fifa está chamando de eventos-teste, para avaliar os estádios das cidades-sede antes das copas das Confederações e do Mundo.

 

Governador Anastasia: “Minas está cumprindo com todos os compromissos assumidos e não tem poupado esforços para transformar os eventos programados em marco para o futebol mundial”
 
 

Novo mineirão

 

Como vai ficar o maior estádio de MG depois de pronto

  • Assentos: 64 mil lugares
  • Esplanada: espaço no entorno do Mineirão com 80 mil m2, com capacidade para 65 mil pessoas
  • Área VIP e camarote: área de 11 mil m2, com restaurante com vista para o campo e 80 camarotes com 1.500 lugares. A área VIP terá cerca de 3,5 mil assentos a poucos metros do campo e lounge 
  • Estacionamento: 2.521 vagas para carros, sendo 1.534 vagas cobertas e 987 descobertas
  • Imprensa: capacidade para cerca de 3 mil jornalistas, com estúdios, sala de conferência e área para entrevistas
  • Ligação Mineirão-Mineirinho: 15 m de largura
  • Comércio: área total de 7.064 m2, interior e esplanada externa
  • Museu dedicado ao futebol: espaço dedicado à preservação da memória do futebol
     

Sustentabilidade

  • Resíduos: reaproveitamento de 90% dos resíduos da obra
  • Madeira: reaproveitamento da madeira por artesãos mineiros para produção de arte popular
  • Cobertura: placas fotovoltaicas no topo do estádio irão captar energia solar e transformá-la em energia elétrica que será lançada na rede. A energia gerada é suficiente para atender cerca de 1.200 residências de médio porte
  • Reaproveitamento da água da chuva: será usado um reservatório de aproximadamente 6 milhões de litros, quantidade suficiente para descargas dos sanitários, irrigação do gramado e jardins e limpeza das áreas externas por três meses. Segundo a Secopa, com a economia gerada, em três anos haverá compensação financeira para esse investimento

 

O que ainda falta fazer

  • Plantio total das mudas do gramado e finalização do sistema de drenagem
  • Acabamento na área de vestiário dos atletas
  • Finalização da instalação das cadeiras
  • Instalação completa da membrana acústica na cobertura metálica
  • Revitalização das calçadas e paisagismo no entorno do estádio
  • Finalização da ligação entre o Mineirão e o Mineirinho
  • Finalização do grande espaço reservado ao museu do futebol e demais galerias   
  • Instalação do sistema de ar-condicionado

Últimas notícias

Comentários