Diamantina põe a mesa

por Blima Bracher 14/11/2012 09:57

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Cláudio Cunha, Yamacolor/Divulgação
Cenário ideal para saborear e ouvir: Diamantina recebe festival de gastronomia e música (foto: Cláudio Cunha, Yamacolor/Divulgação)

Famosa pelos quitutes, vesperatas, carnaval, artesanato, belezas naturais  e gente acolhedora, Diamantina deve receber 12 mil pessoas durante o 3º Festival de Gastronomia e Cultura, o Diamantina Gourmet, entre os dias 9 e 18 de novembro. Destacando o que a terra tem de melhor, o foco serão os chefs e quitandeiras, que vão mostrar a tradição culinária da região: “O Vale do Jequitinhonha é rico em talentos e ingredientes. Queremos valorizar e qualificar a comunidade”, diz a produtora do festival, Eliane Felício.

 

“Paisagem da Janela” é o prato preparado pelo restaurante e bar Meio Tom: a entrada já é um convite para os frequentadores do Diamantina Gourmet
 
 

Quem conhece a cidade histórica sabe que pelas ruas pulsam sabores e acordes musicais. E o casamento das duas vertentes vem com uma justa homenagem aos 40 anos do Clube da Esquina, que, segundo Márcio Borges, um de seus fundadores, “tem Diamantina como roteiro etílico sentimental”.  Por isso, os menus (com entrada, prato principal e sobremesa) dos 11 restaurantes participantes ganharam nomes de clássicos criados pelos integrantes do clube que tem como referência o cantor e compositor Milton Nascimento.

 

Recanto do Antônio: Nada Será Como Antes, música imortalizada na voz de Elis Regina, promete surpreender
 
 

Além da beleza natural do entorno, com suas montanhas e nascentes, o casario colonial e as igrejas são tombados pela Unesco como Patrimônio Cultural da Humanidade. Alguns espaços tradicionais servem de cenário para uma série de atividades durante o Diamantina Gourmet. “Na Praça do Mercado Velho será montada uma cozinha experimental, onde nossas famosas quitandeiras vão mostrar os segredos de suas compotas e temperos”, adianta Eliane. Outro destaque é a exposição de mesas de almoço, jantar e lanche – tudo com a típica hospitalidade mineira.  Já o Teatro Municipal Santa Isabel recebe a exposição temática do Museu Clube da Esquina e o Clube da Cozinha – Diamantina Gourmet.

 

A entrada do prato principal do Garimpeiro busca inspiração em “San Vicente”: o coração americano e um sabor bem mineiro
 
 

As sempre-vivas, outra marca registrada da cidade, serão tema de oficinas, junto com outras preciosidades do artesanato local como utensílios e panelas. O festival quer mostrar a prata da casa e destacar Diamantina, terra do presidente Juscelino Kubitschek, como um dos principais destinos turísticos do estado. O evento faz parte das ações do Minas + Viva, uma criação dos Diários Associados.
 

O Relíquias do Tempo vai de “Feira Moderna”: pratos e quitutes com o que há de mais autêntico na culinária de Minas e do Vale
 
 
 
 

Últimas notícias

Comentários