Domingos Costa

por Pabline Félix 22/01/2013 09:04

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Paulo Márcio
O empresário em 2011, na sede da Vilma, em Contagem: uma vida dedicada à empresa da família (foto: Paulo Márcio)

Não é comum que um mesmo nome apareça dois anos seguidos na nossa lista “dourada” de mineiros. Em 2011, o empresário Domingos Costa se destacou na direção da Vilma Alimentos, empresa que se consolidou como uma das gigantes do ramo alimentício no país, e, por isso, ocupou as páginas dedicadas ao setor industrial e foi eleito o nome da categoria Indústria. Agora, ele volta a aparecer em nossa lista, mas na categoria “Homenagem”. No dia 28 de julho de 2012, o avião do empresário, um bimotor King Air B200, caiu em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira, matando os oito ocupantes. Entre eles estavam os principais diretores da empresa, como o vice-presidente de marketing e vendas César de Pinho Tavares, e o filho mais novo de Domingos, Gabriel Costa, de apenas 14 anos, que começava a acompanhar o pai em compromissos profissionais.

 

Sempre foi parte da cultura da Vilma incluir os herdeiros desde cedo – e de acordo com o seu interesse – nos assuntos e na rotina da empresa. Foi assim com Paschoal, filho dos italianos fundadores da marca e pai do empresário; com Domingos, representante da terceira geração e responsável por transformar, em 36 anos de dedicação, a pequena fábrica de massas em uma grande companhia; e com os filhos Thiago e Patrícia. Ela assumiu o lugar do pai depois da tragédia. O mais velho, Paschoal, não trabalha na empresa. “Trago o exemplo do empenho e da honestidade do meu pai, que sempre foi muito correto com todo mundo, para o meu dia a dia. Ele era querido por todos, mesmo sendo pulso firme com a equipe”, afirma a nova diretora, que tem o desafio de coordenar uma empresa com mais de 1.600 funcionários, mil produtos em catálogo, filiais em quatro estados e faturamento de R$ 480 milhões em 2011.

 

Em casa, Domingos gostava de animação, mesa farta e muitos amigos. “A alegria dele era ver as pessoas felizes. Era um homem brincalhão, carinhoso e simples, que tinha sempre a família em primeiro lugar e fazia questão de ver os filhos unidos. Vejo que em cada um deles há muito do pai”, diz Bernadete Barreira Costa, viúva do empresário, com quem viveu durante 17 anos. A paixão pelo futebol também é recorrente nas memórias dos mais próximos. “É muito forte a lembrança de ir, ainda criança, ao Mineirão, na companhia dele, que era um apaixonado pelo Cruzeiro e por esporte”, conta Thiago Costa, terceiro filho do primeiro casamento de Domingos, com Ana Rita de Macedo Moura.

 

Visionário, Domingos Costa investiu, nos últimos anos, na modernização e na profissionalização da gestão da empresa, recursos que garantem hoje a continuidade da sua administração. “Ele dizia que tudo mudava muito rápido e que, se não mudasse junto, ia sumir. Por isso previu tanta coisa, teve tantas ações à frente do seu tempo. Tudo respeitando muito a história que foi construída. Acho que ele saiu de cena com tudo acertado, com toda a beleza que ele tinha”, declara a irmã Juçara Costta, artista plástica e atriz.

Últimas notícias

Comentários